Bolsonaro diz ter 'certa afinidade' com príncipe saudita acusado de matar jornalista

Por Metro Jornal

O presidente Jair Bolsonaro tem marcada, nesta terça-feira (29), uma reunião de negócios com o governo da Arábia Saudita. Em Riad, no hotel em que está hospedado, Bolsonaro mostrou otimismo ao falar das relações diplomáticas entre o país árabe e o Brasil, e comentou sua relação com o príncipe herdeiro do trono saudita, Mohammed bin Salman.

"Temos uma reunião de negócios hoje à tarde. Todo mundo gostaria de passar uma tarde com um príncipe", afirmou Bolsonaro. "Especialmente vocês, mulheres, né?".

Ele ainda completou: "Tenho uma certa afinidade com o príncipe. Em especial depois do encontro em Osaka".

LEIA MAIS:
Quadrilha que aplicava golpe do empréstimo consignado é presa em Santo André
Em Riade, Bolsonaro abandona entrevista após pergunta sobre críticas de Celso de Mello

Para o presidente, a Arábia Saudita quer "investir maciçamente no Brasil", e credita isto à confiança dos sauditas em seu governo. Na segunda-feira (28), os dois líderes encontraram-se em um jantar – descrito como uma "reunião muito boa, descontraída" pelo brasileiro.

Jair Bolsonaro e o príncipe da Arábia Saudita, Mohammed bin Salman José Dias/PR

Bin Salman, o príncipe saudita, é suspeito de ter mandado assassinar o jornalista Jamal Kashoggi, que visitou o consulado do país em Istambul e, lá, foi sufocado e esquartejado por uma equipe de 15 homens.

Investigações da Organização Nacional das Nações Unidas (ONU) e da Agência Central de Inteligência (CIA) dos Estados Unidos colocam o príncipe como provável mandante do assassinato. Kashoggi mantinha uma coluna no The Washington Post, e era crítico vocal ao governo saudita, denunciando atentados à democracia e à liberdade de expressão por todo o Oriente Médio.

Enquanto isso, o governo espera traçar parcerias econômicas bilaterais com a Arábia Saudita, com foco na exportação de produtos do agronegócio brasileiro.

 

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo