Bruno Covas não deve, por enquanto, se afastar do cargo para tratar câncer

Por Eduardo Ribeiro - Metro Jornal São Paulo

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), foi diagnosticado com câncer, segundo disseram os médicos que o atendem no Hospital Sírio-Libanês.

O oncologista Artur Katz explicou que o prefeito tem um tumor maligno entre o estômago e o esôfago e se espalhou por mais locais: fígado e dois pontos do sistema linfático.

O prefeito será submetido a quimioterapia. A primeira fase do tratamento levará de seis a oito semanas. Segundo os médicos, não há previsão de afastamento do cargo, por ora.

"O caso dele foi uma surpresa. porque ele não apresentava sintomas e ainda não apresenta”, disse Katz.

O oncologista afirmou ainda que o câncer diagnosticado não tem relação nenhuma com hereditariedade.

Bruno é neto do ex-governador Mário Covas, que morreu em 2001, depois de ter um câncer na bexiga que evoluiu para metástase.

A princípio, ele fica internado até o final da semana.

Trombose

Bruno Covas foi internado na quarta-feira da semana passada para tratar de uma erisipela –uma infecção na pele das pernas. Na sexta, foi diagnosticado com trombose venosa das veias fibulares”, ou seja, houve formação de coágulo nas veias das pernas.Exames posteriores diagnosticaram  tromboembolismo pulmonar –quando um coágulo vai para o pulmão.

Na entrevista à imprensa, os médicos disseram que o cardiologista Roberto Kalil Filho foi quem decidiu fazer exames que fossem além da trombose. No sábado, o prefeito passou por um exame chamado pet scan, que constatou o surgimento do tumor no trato digestivo.

O oncologista Katz disse que a  descoberta foi “rápida e precisa, mais do que precoce”. “Isso é muito positivo para o tratamento, embora não possamos fazer futurologia”, afirmou.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo