Golpe promete empréstimo via WhatsApp; como evitar ser enganado

Por Metro Jornal

Um golpe está chamando a atenção pelo aumento de relatos em redes sociais: trata-se do falso empréstimo via WhatsApp. Se antes eram apenas usados nomes de bancos consolidados, hoje criminosos já começam a utilizar nomes das chamadas fintechs (empresas de tecnologia que prestam serviços financeiros) como isca.

LEIA MAIS:
Mega-Sena: sorteio desta quinta-feira vai pagar R$ 24 milhões
Como fica sua aposentadoria após a reforma da Previdência? Confira perguntas e respostas

Este tipo de golpe é tão recente que ainda não há uma divisão específica no Sistema Digital de Ocorrências da Polícia Civil de São Paulo para relatar este tipo de crime, sendo necessário comparecer pessoalmente ao Departamento de Polícia para reportá-lo. Entretanto, é possível identificar padrões para entender como esse golpe acontece.

“O roteiro é sempre o mesmo: a pessoa recebe no WhatsApp uma mensagem se fazendo passar por uma fintech informando que há um limite de crédito pré-aprovado disponível. Contudo, é exigido que se faça um depósito antecipado. Já é um claro sinal de tentativa de golpe”, esclarece Débora Cipolli, diretora de riscos da empresa Noverde, especializada em crédito online para as classes C e D com sede em São Paulo.

A Noverde coletou registros de indivíduos que foram abordados por este esquema. Confira-os abaixo para se familiarizar com as táticas de golpe, e veja também dicas para não ser a próxima vítima deles.


Dicas para não cair no golpe:

  • Ignore mensagens enviadas de pessoas desconhecidas que peçam para clicar em um link para conseguir um empréstimo. E, se for o caso, marcar a mensagem como SPAM.
  • Tenha controle sobre quais formulários com pedidos de crédito você preencheu. Empresas com boa reputação costumam oferecer uma experiência simplificada. Desconfie de mensagens que indiquem que seu crédito foi aprovado junto a empresas que você não tenha um relacionamento, por exemplo.
  • Ao receber uma oferta de crédito, pesquise sobre a reputação da empresa, especialmente por meio de  recomendações de outros clientes. Golpistas usam muito a desinformação e se aproveitam da necessidade das pessoas que precisam daquele dinheiro.
  • Se persistir a dúvida, entre em contato pelos telefones disponíveis nas páginas oficiais da empresa para esclarecer sobre a veracidade da oferta.
  • Redobre a atenção com ofertas de empréstimos que peçam um depósito antecipado como “taxa de conveniência” ou algum serviço de análise de crédito, para liberar um valor pré-aprovado. Essa prática não é usual.
  • Se a mensagem vier com muitos erros gramaticais ou o atendimento for muito informal, como por exemplo, audios de WhatsApp, há probabilidade grande de ser golpe.
  • Não caia em pressões psicológicas que dão um prazo de poucas horas para a concretização do “empréstimo”. Há casos em que os golpistas prometem abono de parcelas caso o comprovante de depósito seja feito em poucos minutos.

 

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo