Como foi a cerimônia de canonização da Santa Dulce dos Pobres

Por Metro Jornal

Desde as 10h34 (5h34 no horário de Brasília) de domingo (13), o Brasil tem oficialmente uma santa nascida no país. Nesse horário, o papa Francisco oficialmente fez da religiosa Irmã Dulce, a Santa Dulce dos Pobres. Seu dia será celebrado em 13 de agosto –data em que ela se tornou freira em 1933.

A cerimônia, conduzida na Praça São Pedro, no Vaticano, reuniu, de acordo com a guarda local, cerca de 50 mil pessoas –sendo 10 mil brasileiros, segundo estimativa da Santa Sé. Entre eles, as duas pessoas cuja cura foi atribuída a milagres realizados pela agora santa e que levaram à canonização: Cláudia dos Santos, que em 2001 teve hemorragia ao dar à luz seu segundo filho e o músico José Maurício Moreira, que, cego, rezou para Irmã Dulce e acordou enxergando. Ele participou da celebração, levando um dos cálices na oferenda da missa.

Canonização Irmã Dulce A celebração de canonização de Santa Dulce dos Pobres, no Vaticano / Arthur Edwards - Pool/Getty Images

Veja também:
Discussões públicas entre parlamentares marcam crise no PSL
Bahia vai decretar emergência por manchas de óleo no litoral

Bandeiras brasileiras e trajes verde e amarelo podiam ser notados em todas as partes da praça. Foram levadas ao papa as relíquias de cada um dos novos santos. A de Irmã Dulce é um pedaço de osso de sua costela, com uma pedra de ametista.

Outras quatro pessoas foram tornadas santas na mesma cerimônia: um teólogo inglês, uma freira italiana, uma freira indiana e uma catequista suíça.

Na Bahia, fiéis fazem vigília

No agora Santuário Santa Dulce dos Pobres, em Salvador, os fiéis começaram a chegar na noite de sábado para acompanhar. Uma missa foi celebrada às 22h e, depois, começaram orações até a hora da canonização.

Quando o papa anunciou que o Anjo Bom da Bahia era oficialmente a santa Dulce dos Pobres, sua imagem recebeu uma auréola, somente conferida a santos.

Ao longo desta semana, a arquidiocese de Salvador programou uma série de eventos na chamada “Semana da Gratidão”. Serão três missas diárias: às 8h30, 12h e 16h; recitação do Terço em honra à Santa Dulce, às 11h e às 15h; Sarau Dulce, às 17h30.

O ápice será a celebração marcada para o próximo domingo, no estádio da Fonte Nova, às 17h: missa de agradecimento pela canonização presidida pelo arcebispo de Salvador e primaz do Brasil, dom Murilo Krieger.

Canonização Irmã Dulce Fiéis acompanham a canonização por telão no santuário da santa / Fernando Vivas/Folhapress

Políticos acompanham cerimônia

Um grupo de ao menos 25 autoridades e políticos brasileiros foi ao Vaticano acompanhar a canonização de Santa Dulce dos Pobres.

A comitiva tem deputados, senadores e ministros. Entre eles, o vice-presidente, Hamilton Mourão, os presidentes do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e do STF (Supremo Tribunal Federal), Dias Toffoli. No sábado, o subprocurador-geral do TCU (Tribunal de Contas da União), Lucas Rocha Furtado, pediu à Corte que investigue os gastos da comitiva do governo no evento.

Canonização Irmã Dulce Autoridades brasileiras e o príncipe Charles na missa / Mazur/cbcew.org.uk
Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo