PF investiga tráfico internacional de drogas sintéticas em Curitiba

Por Agência Brasil

Uma organização criminosa que atuava no tráfico internacional de drogas é alvo da Operação Holanda, deflagrada pela PF (Polícia Federal) na manhã desta quarta-feira (9). De acordo com a polícia, o grupo tem ramificação no centro internacional de encomendas dos Correios, em Pinhais, na região metropolitana de Curitiba, no Paraná. Entre os investigados estão dois ex-funcionários de carreira dos Correios e três ex-funcionários terceirizados.

A operação de hoje, que conta com o apoio da Gerência de Segurança Operacional dos Correios, é um desdobramento da Operação Hexa, deflagrada em 28 de fevereiro deste ano.

Veja também:
Mulheres vítimas de violência têm prioridade na matrícula dos filhos
Verdades Secretas: 2ª temporada da novela é confirmada para 2021

Segundo a PF, após a análise de material apreendido naquela ocasião, identificou-se que o grupo criminoso tinha foco no desvio, apropriação e venda de drogas sintéticas, oriundas de diversas cidades da Holanda. O grupo desviava as drogas no momento da triagem junto ao centro internacional da empresa, por onde passam todas as encomendas postais internacionais com até dois quilos que chegam ao Brasil.

“A suspeita é de que a apropriação ilícita dos entorpecentes ocorria na própria estação de trabalho dos investigados, que identificavam a origem e características dos objetos postais. Se contivessem droga sintética, os pacotes eram interceptados e subtraídos para posterior venda.”

Os policiais federais cumprem desde as primeiras horas desta quarta sete mandados de busca e apreensão (cinco em Curitiba e dois em Piraquara, no Paraná) para a coleta de evidências que possam estar relacionadas aos fatos investigados e seus possíveis autores. Os mandados foram expedidos pela 9ª Vara Federal de Curitiba.

Na primeira fase da operação, foram cumpridos quatro mandados de busca e apreensão e três mandados de prisão temporária que foram convertidas em prisão preventiva, pela prática de peculato e associação criminosa.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo