Covas dobra verba para zeladoria no Orçamento de São Paulo para 2020

Por Metro Jornal

A proposta de Orçamento levada na segunda-feira (30) pelo prefeito Bruno Covas (PSDB) à Câmara para 2020, ano eleitoral, prevê aumento de 35% nos recursos de investimentos na cidade e dobra as verbas para zeladoria na cidade no ano que vem. O valor total previsto é de R$ 68,9 bilhões, 13,8% maior do que o Orçamento deste ano.

Somando valores previstos para recapeamento e pavimentação de ruas (R$ 1,4 bilhão), reforma de calçadas (R$ 627 milhões), manutenção de áreas verdes e árvores (R$ 212 milhões) e limpeza urbana (R$ 823 milhões), todos relacionados à zeladoria, a área tem ao menos R$ 3 bilhões reservados. Para este ano, a previsão era de cerca de R$ 1,5 bilhão.

Covas deve ser candidato à reeleição e tem na zeladoria um dos pontos mais mal avaliados da gestão.

“O gasto médio da cidade com zeladoria era de R$ 500 milhões. Triplicamos o valor neste ano e, para 2020, vamos sextuplicar”, disse o prefeito aos vereadores. Covas disse que esse crescimento no investimento e na zeladoria foi possível porque a prefeitura fez “a lição de casa de organizar as contas”. Ele também afirmou que vai entregar os 12 CEUs, as 12 UPAs e os dois hospitais cujas obras não haviam sido finalizadas até o final da gestão passada.

Para o cientista político Marco Antonio Teixeira, professor da FGV (Fundação Getulio Vargas), esse aumento da verba para zeladoria em ano eleitoral pode levar a uma percepção de que foi por esse motivo. “Ele [Covas] está tentando buscar dar resposta numa área que é crucial e que vem se arrastando.”

IPTU pela inflação

Segundo Covas, o reajuste do IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano) deve ser só pela inflação, sem aumento real.

Destaques

• Educação.
R$ 13,8 bilhões.

• Saúde.
R$ 11,8 bilhões

• Zeladoria, Infraestrutura e Serviços Urbanos.
R$ 4,25 bilhões

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo