Projeto de BRT do ABC é estendido ao terminal Sacomã

Por Metro ABC

Sem um projeto detalhado sobre o BRT (Bus Rapid Transit) do ABC, o governo de João Doria (PSDB) anunciou na quinta-feira (12) a expansão do corredor de ônibus da estação Tamanduateí, das linhas 2-Verde do Metrô e 10-Turquesa da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos), ao terminal Sacomã (zona sul de São Paulo). As obras são esperadas para o primeiro semestre de 2020, passando por São Caetano, Santo André e São Bernardo.

A extensão do BRT, que substituiu em junho a proposta de monotrilho da linha 18-Bronze, foi confirmada pelo secretário estadual de Transportes Metropolitanos, Alexandre Baldy, no Consórcio Intermunicipal do ABC. “O governo está modelando o projeto do BRT para que possa ser licitado até dezembro de 2019. Vamos incluir algumas estações, para que o destino não seja somente Tamanduateí, e sim o terminal Sacomã”, explicou.

A ideia é que o BRT passe a se conectar com o Expresso Tiradentes, corredor de ônibus de 8,2 km do centro aos terminais Vila Prudente (zona leste) e Sacomã sob concessão da SPTrans. Com o acréscimo do percurso, o custo estimado das obras aumentou de R$ 680 milhões para R$ 860 milhões (majoração de 26,5%). A entrega à população deve ocorrer somente em 2022, com 23 estações e uma média de 173 mil passageiros por dia.

Veja também:
Começam os saques do FGTS para correntistas da Caixa; banco amplia atendimento
Aluno leva arma para escola em Osasco e tenta atirar contra colega

Muitas dúvidas, porém, permanecem a respeito do projeto, como o traçado e seu formato (superfície, elevado ou misto), tipo de concessão, se contará com obras antienchentes no percurso e se o corredor ABD, operado pela Metra, também poderá circular na futura via.

Baldy, por outro lado, garantiu que o corredor não terá interrupções com trânsito de veículos comuns. “Um BRT por si só não pode ter intervenções semafóricas e interrupções de trânsitos local, e caso não seja adotado na sua plenitude, não pode ser chamado de BRT”, assegurou.

Presidente do Consórcio e prefeito de Santo André, Paulo Serra (PSDB) anunciou a formação de uma comissão na entidade regional, composta por secretários municipais de transportes, para acompanhar os projetos de mobilidade urbana do Estado na região.

Implantado de forma pioneira em Curitiba (Paraná), desde 1974, o BRT é um sistema de ônibus em corredores e estações exclusivas, além de viagens mais rápidas aos usuários.

Perguntas sem respostas sobre o BRT

  • Em qual mês começam as obras?
    A projeção de início dos trabalhos no primeiro semestre de 2020, mas sem uma estimativa mais precisa de quando.
  • Qual o seu traçado?
    Não houve detalhes sobre o traçado do BRT, principalmente do trecho acrescentado ao projeto, entre a estação Tamanduateí e terminal Sacomã.
  • O corredor terá trechos elevados e de superfície?
    O secretário não soube dizer se haverá trechos elevados e onde.
  • Como o BRT não terá interferências trânsito local?
    Baldy afirmou que o BRT não terá interferência de semáforos, mas não explicou como.
  • Haverá obras contra enchentes em seu percurso?
    Não houve detalhes se o trajeto será contemplado com obras contra enchentes.
  • Haverá desapropriações de imóveis?
    Não se sabe se haverá desapropriações para garantir o traçado do BRT e tampouco quantos imóveis seriam impactados.
Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo