Toffoli defende Constituição Federal menor, sem temas econômicos

Por Estadão Conteúdo

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, dá sinais de que de fato encabeçou a campanha para a redução da Constituição Federal. Durante participação de cerca de uma hora e meia na 20ª Conferência Anual Santander, o magistrado falou por pelo menos cinco vezes sobre a necessidade de se tirar da carta magna temas pertinentes, por exemplo, à economia.

LEIA MAIS:
Guedes pede ‘paciência’ após retração econômica de 0,13%
Bolsonaro chama radares móveis de ‘covardia’ e diz que irá desativá-los até semana que vem

"Sou a favor da desidratação da Constituição Federal", disse o ministro do STF durante sessão de perguntas e respostas no evento.

Antes, durante sua apresentação, o ministro do STF havia falado que tem conversado com o presidente da República Jair Bolsonaro e com o ministro da Economia, Paulo Guedes, para que as questões tributárias sejam retiradas da Constituição.

LEIA MAIS:
Chapa de Cristina Kirchner recebe 47% dos votos em primárias na Argentina
Acompanhe a cotação do dólar, do euro e do bitcoin em tempo real nesta segunda, 12 de agosto

Na avaliação de Toffoli, a cada reforma que se faz no Brasil o texto constitucional cresce e, por isso, ocorre a judicialização dos temas, o que colabora para aumentar a insegurança jurídica no País.

O presidente do STF recebeu o apoio do presidente da Câmara dos Deputados Federais, Rodrigo Maia (DEM-RJ), presente no evento e para quem uma Constituição mais enxuta trará maior segurança jurídica para os investidores.


Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo