Japoneses relembram os 74 anos da bomba atômica em Hiroshima

Por Ansa

Com uma cerimônia no parque da Paz, Hiroshima, no Japão, relembrou os 74 anos do lançamento da bomba atômica sobre a cidade durante a Segunda Guerra Mundial.

Além de moradores da cidade, representantes de cerca de 90 países participaram do ato e lembraram as milhares de vítimas do bombardeio.

LEIA MAIS:
Japan House celebra obra do japonês Tsuyoshi Tane em exposição gratuita
Elize Matsunaga vai para o regime semiaberto

Durante seu discurso, o prefeito de Hiroshima, Kazumi Matsui, afirmou que os jovens não devem "desprezar" a tragédia e a guerra "como meros fatos do passado". O político ainda pediu para as potências mundiais assinarem o Tratado para a Proibição de Armas Nucleares.

"Para enfrentar nossas circunstâncias atuais e conseguir um mundo pacífico e sustentável, devemos transcender as diferenças de status ou opinião. Para consegui-lo, as gerações vindouras não devem desprezar os bombardeios atômicos e a guerra como meros fatos do passado", disse Matsui.

Pelo menos 148 mil pessoas morreram por causa do ataque nuclear na primeira, enquanto outros 74 mil indivíduos perderam a vida na segunda. Os números incluem tanto os que faleceram no momento do impacto quanto os que padeceram por conta dos efeitos da radiação.Com uma cerimônia no parque da Paz, Hiroshima, no Japão, relembrou os 74 anos do lançamento da bomba atômica sobre a cidade durante a Segunda Guerra Mundial.

Confira cenas da cerimônia:

Além de moradores da cidade, representantes de cerca de 90 países participaram do ato e lembraram as milhares de vítimas do bombardeio.

Durante seu discurso, o prefeito de Hiroshima, Kazumi Matsui, afirmou que os jovens não devem "desprezar" a tragédia e a guerra "como meros fatos do passado".

O político ainda pediu para as potências mundiais assinarem o Tratado para a Proibição de Armas Nucleares.

"Para enfrentar nossas circunstâncias atuais e conseguir um mundo pacífico e sustentável, devemos transcender as diferenças de status ou opinião. Para consegui-lo, as gerações vindouras não devem desprezar os bombardeios atômicos e a guerra como meros fatos do passado", disse Matsui.

Pelo menos 148 mil pessoas morreram por causa do ataque nuclear na primeira, enquanto outros 74 mil indivíduos perderam a vida na segunda. Os números incluem tanto os que faleceram no momento do impacto quanto os que padeceram por conta dos efeitos da radiação.


Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo