Em clima hostil, EUA e Rússia encerram tratado de desarmamento nuclear

O acordo havia sido assinado no final da Guerra Fria; americanos acusam russos de violar os termos

Por Ansa

Os Estados Unidos e a Rússia encerraram oficialmente nesta sexta-feira (2) o Tratado de Desarmamento Nuclear (INF), assinado em 1987, durante a Guerra Fria, entre os presidentes Ronald Reagan e Mikhail Gorbachev.

LEIA MAIS:
Inpe: diretor é exonerado após críticas de Bolsonaro sobre dados de desmatamento
Youtuber americano morre em acidente durante filmagem em paramotor

A decisão de Moscou e Washington é vista com cautela por analistas internacionais e reacende o temor de uma nova corrida armamentista entre as potências. A Rússia declarou o fim do tratado e, minutos depois nesta sexta-feira, o secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo, confirmou a saída dos EUA também.

Em fevereiro, Washington tinha suspendido sua participação no tratado, acusando Moscou de fabricar mísseis. Já Moscou justificou a decisão que o "fim do tratado foi iniciativa dos EUA". De acordo com o chanceler russo, Sergei Ryabkov, seu país propôs aos Estados Unidos uma moratória na instalação de mísseis nucleares de alcance intermediário depois de deixar o INF.

Os EUA acusam a Rússia de violar os termos do acordo e desenvolver um novo tipo de míssil, o 9M729, que teria um alcance de 1.500 km. O Tratado de Armas Nucleares de Alcance Intermediário limitava o uso de mísseis de alcance intermediário (500 a 5.500 km), tanto convencionais quanto nucleares.

"A Rússia é a única responsável pelo fim do tratado", disse Pompeo em um comunicado ao final de uma reunião de ministros das Relações Exteriores da Associação de Nações do Sudeste Asiático (ASEAN).


Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo