Sarampo em São Paulo: mais de 700 mil pessoas se vacinaram desde o início da campanha

Por Metro Jornal, com BandNews FM

Mais de 700 mil pessoas tomaram a vacina contra o sarampo na cidade de São Paulo desde o início da campanha, em 10 de junho. O balanço atualizado foi divulgado na manhã desta sexta-feira (26) pela Prefeitura de São Paulo.

A maioria das doses foi aplicada em jovens e adultos de 15 a 29 anos de idade, o primeiro público-alvo da mobilização. No entanto, mais de 70% da população nessa faixa etária ainda não foi imunizada.

Veja também:
EMTU: Tarifas de ônibus intermunicipais terão aumento a partir de domingo
Motociclistas protestam na marginal Pinheiros e causam lentidão

A Secretaria Municipal da Saúde incluiu na quinta (25) crianças entre seis meses e um ano no público-alvo da campanha de vacinação. Pessoas das duas faixas etárias podem tomar a dose sem precisar de carteirinha de vacinação.

A dose a ser aplicada nos bebês é extra e não substitui a vacina prevista no calendário de rotina, aos 12 meses com a tríplice viral – contra sarampo, rubéola e caxumba– e aos 15 meses com a tetraviral – que inclui catapora. As crianças só não devem tomar a dose agora se já tiverem sido imunizadas em uma das ações de bloqueio vacinal realizadas na cidade: toda vez que há um caso suspeito da doença, equipes da secretaria vacinam todas as pessoas que convivem com o paciente.

As autoridades ainda recomendam que pessoas de 30 a 59 anos tomem uma dose da vacina.

Infecção viral

O sarampo é muito contagioso, transmitido por tosse ou espirro. Cada pessoa contaminada pode infectar até outras 18. Ele evolui para complicações que podem até matar.

Seus sintomas começam com febre alta, coriza, podendo ter conjuntivite e mal-estar. Depois, aparecem manchas avermelhadas pelo corpo.

“Antes de aparecerem as manchas, a pessoa já está transmitindo o sarampo”, disse Helena Sato, diretora de imunização da Secretaria de estado da Saúde.

Ela diz que é difícil distinguir o sarampo de uma gripe ou resfriado pelos sintomas iniciais, bem semelhantes. Mas alerta: quando tem suspeita de que contraiu sarampo, a pessoa deve procurar o médico. “Melhor ainda: se estiver no público-alvo, a pessoa deve se vacinar”, declarou.

Saiba mais detalhes sobre a doença e a campanha de vacinação:

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo