Saque de FGTS pode ser limitado a R$ 500

Por Metro Jornal

O governo estuda agora limitar os saques das contas ativas e inativas do FGTS em R$ 500 neste ano. O valor máximo valeria para cada conta que o trabalhador tiver.

O limite foi discutido na segunda-feira (22) em uma reunião no Ministério da Economia, segundo informações obtidas pelo Estadão/Broadcast. O público-alvo da medida são 100 milhões de contas do fundo – um trabalhador pode ter mais de uma conta.

A partir do ano que vem, o governo avalia permitir uma nova modalidade de retirada dos recursos do fundo, com o saque anual no aniversário do trabalhador. Se escolher essa opção, ele teria que abrir mão de resgatar a totalidade do FGTS caso seja demitido sem justa causa. Nessa situação, continuaria a sacar a parcela dos recursos anualmente até acabar.

Veja também:
Cuidado com esses cruzamentos em São Paulo
Pesquisa: Para 39%, novo governo ainda não fez ‘nada’ de importante

A ideia agora é ampliar as faixas do saque no aniversário. Estão sendo estudadas faixas de limite e também um valor fixo. Por exemplo: quem tem até R$ 500 poderia sacar a metade. A partir daí, seria fixado um percentual mais um valor fixo. Para quem tem acima de R$ 20 mil, a opção estudada é limitar em 5% mais um valor fixo de R$ 2.900.

Até a semana passada, o governo estudava liberar até 35% das contas ativas e inativas do FGTS. Segundo, o ministro da Economia, Paulo Guedes, a medida teria potencial de injetar R$ 42 bilhões na economia. Em seguida, a pasta afirmou que deveriam ser liberados R$ 30 bilhões.

O limite de R$ 500 para este ano seria uma forma de atender ao setor de construção civil, que pressionou o governo por preocupações com  uma redução de recursos para o financiamento imobiliário. O anúncio sobre alterações no FGTS pode ser feito nesta quarta-feira.

Ministro da economia Paulo guedes O ministro da Economia, Paulo Guedes / Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo