Monumentos históricos e esculturas são restauradas em São Paulo

Por Metro Jornal São Paulo

Três pontos da capital ganharam cara nova com a restauração de 41 obras e monumentos históricos. Foram retiradas pichações e desgastes, realizadas pinturas e a instalação de coberturas para protegê-las. Os locais selecionados foram o jardim de Esculturas do parque Ibirapuera (zona sul), que recebeu a restauração de 29 obras, dentre elas a “Aranha”, “Corrimão” e “Cantoneiras”, 9 na praça da Sé (centro), incluindo o marco zero da cidade,  “Abertura” e “Voo”, e mais 3 no parque Trianon (centro), contando com a “Fauno”, “Anhanguera” e “Busto de Joaquim Eugenio de Lima”.

Eduardo Lara Campos, idealizador e coordenador da restauração, conta que 80 esculturas foram visitadas. “O critério para escolha foram a localidade, o nível de deterioração e, por fim, a importância dos artistas”, explica Campos.

A iniciativa, que tem intuito de preservar o patrimônio cultural e chamar atenção às obras importantes, é uma parceria da Sequoia Produções, da Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa, do Ateliê Julio Moraes e patrocinada pela Bombril. O custo do projeto, que começou em novembro e terminou mês passado, foi de R$ 200 mil.

A ação foi registrada em documentário e catálogo, que serão lançados na terça-feira (9), a partir das 11h, no Museu de Arte Moderna de São Paulo (zona sul).

Veja as 41 esculturas e monumentos históricos restaurados:

Parque Ibirapuera

  • 1 – As Irmãs (1966) – Alfredo Ceschiatti
    2 – Sete Ondas (1995) – Amélia Toledo
  • 3- Carranca (1978) – Almicar de Castro
  • 4 – Sem título (1970) – Almicar de Castro
  • 5 – Corrimão (1996) – Ana Maria Tavares
  • 6 – Sem título (1997) – Angelo Venosa
  • 7 – Realidade Alusiva (1988) – Antonio Lizárraga
  • 8 – A Coisa (1972) – Caciporé Torres
  • 9 – Sem título (1990) – Carlos Alberto Fajardo
  • 10 – Sem título (1997) – Carlos Alberto Fajardo
  • 11 – Relógio de Sol (1984) – Chartes de Almeida
  • 12 – Árvore (1991) – Cleber Machado
  • 13 – Miragem I, II, III (1988) – Cleber Machado
  • 14 – Sectiones Mundi (1988) – Denise Milan e Ary Perez
  • 15 – Aparador (1991) – Eliane Prolik
  • 16 – Aranha (1981) – Emanoel Araújo
  • 17 – Escultura (1973) – Felícia Leirner
  • 18 – Cantoneiras (1975) – Franz Weissmann
  • 19 – Grande quadrado preto com fita (1985) – Franz Weissmann
  • 20 – Pedra Torcida (1985) – Hisao Ohara
  • 21 – Sem título (1977) – Iole de Freitas
  • 22 – Sem título (1994) – Ivens Machado
  • 23 – Sem título (1997) – José Resende
  • 24 – A Caçadora (1944) – Lélio Coluccini
  • 25 – Laminescate (1991) – Luiz Hermano
  • 26 – Exu Mola de Jeep (1953) – Mario Cravo Junior
  • 27 – Sem título (1991) – Maurício Bentes
  • 28 – Craca (1995/96) – Nuno Ramos
  • 29 – Tetraedros (1997) – Sérvulo Esmeraldo

Praça da Sé

  • 1 – Abertura (1979) – Almicar de Castro
  • 2 – Voo (1979) – Caciporé Torres
  • 3 – Totem da Sé (1979) – Domenico Calabrone
  • 4 – Os Pássaros (1979) – Felicia Leirner
  • 5 – Marco Zero (1934) – Jean Gabriel Villin e Américo R. Neto
  • 6 – Sem título (1979) – Mario Cravo Junior
  • 7 – Nuvem Sobre a Cidade (1979) – Nicolas Vlavianos
  • 8 – Emblema de São Paulo (1979) – Rubem Valentim
  • 9 – Sem título (1979) – Sergio Camargo

Parque Trianon

  • 1 – Fauno (1944) – Victor Brecheret
  • 2 – Anhanguera (1924) – Luis Brizzolara
  • 3 – Joaquim Eugenio de Lima (1952) – Roque de Mingo

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo