Em leilão da Vara Criminal do Rio, Lamborghini de Eike Batista não tem lances

Por Estadão Conteúdo

Apenas dois lotes foram arrematados na primeira fase do leilão da 7ª Vara Criminal Federal do Rio de Janeiro nesta quinta-feira, 4, que colocou à venda veículos, embarcações e imóveis alienados de réus da Operação Lava Jato, como o empresário Eike Batista e o ex-governador do Rio Sergio Cabral.

Dos bens de Eike sequestrados pela Justiça, apenas um jet ski e uma jet boat foram arrematados, inclusive com disputa, pelo valor total de R$ 90,5 mil. Porém, a emblemática Lamborghini, que ficava na sala do empresário detido por propinas pagas ao governo de Cabral, não teve lances.

Segundo o leiloeiro Renato Guedes, é comum bens de valor alto ficarem para a segunda chamada do leilão, que acontece no dia 18 de julho. A Lamborghini, foi avaliada em R$ 2,2 milhões e será oferecida novamente por R$ 1,7 milhão no próximo leilão.

"No segundo leilão, os bens terão um desconto de 20%", informou o leiloeiro. "Se novamente não for vendido, um novo leilão é convocado e o desconto poderá aumentar para 25%", explicou.

Ao todo, se habilitaram para participar do leilão 30 interessados. Nos bens que foram vendidos de Eike, tanto o jet ski como a jet boat receberam dois lances cada. O jet ski Spirit of Brazil foi vendido por R$ 43,5 mil (parcelados) e a jet boat (movida a jatos de água) por R$ 47 mil à vista.

Também ficou sem comprador a Fazenda Três Irmãos do operador financeiro do ex-governador Cabral, Carlos Miranda, em Paraíba do Sul (RJ), avaliada em R$ 3 milhões e que voltará a ser oferecida por R$ 2,2 milhões na próxima chamada para o leilão.


Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo