Vacina pentavalente está em falta nos postos de saúde de São Paulo

Por Metro Jornal

A vacina pentavalente está em falta nas unidades básicas de saúde de São Paulo. Segundo as secretarias estadual e municipal da Saúde, o envio de doses por parte do Ministério da Saúde tem sido irregular e em quantidades insuficientes, impactando na redistribuição para a população.

A Convisa (Coordenadoria de Vigilância em Saúde) disse ainda que a cidade de São Paulo não recebeu, no mês de junho, as doses da vacina pentavalente. A imunização protege contra difteria, tétano, coqueluche, hepatite B e meningite.

O ouvinte da Rádio BandNews FM Ricardo Camilo esteve em quatro UBSs da zona leste: Padre José de Anchieta, Padre Manoel da Nóbrega, Jardim Brasília e Vila Santo Estevão. Em nenhuma delas conseguiu vacinar a filha de dois meses com a dose. Ele contou à rádio que os funcionários não souberam dizer quando o abastecimento seria normalizado.

Ricardo, então, questionou a Secretaria Municipal de Saúde pela internet e foi informado de que a pasta não recebeu da órgão estadual as doses solicitadas, o que gerou o desabastecimento.

Procurada, a Secretaria Estadual da Saúde afimou que, "até que haja regularização pelo Ministério, o Estado está buscando o remanejamento entre regiões."

Leia também:
Estudantes poderão fazer Enem pela internet a partir do ano que vem, diz Inep
‘Anos isolado cuidando da saúde física e mental’, desabafa Bento Ribeiro

Veja as notas na íntegra:

Prefeitura de SP:

A Coordenadoria de Vigilância em Saúde (Covisa) informa que o município de São Paulo não recebeu, no mês de junho, as doses da vacina pentavalente. As vacinas são adquiridas pelo Ministério da Saúde que faz a distribuição para os estados.

Governo do Estado de SP:

A responsabilidade da aquisição e distribuição das vacinas pentavalente é do Ministério da Saúde. O Estado apenas redistribui para os municípios, à medida que os lotes chegam a SP.

Nos últimos dois meses o envio das doses pelo órgão federal para São Paulo tem sido irregular e em quantidades insuficientes, impactando na redistribuição. Até que haja regularização pelo Ministério, o Estado está buscando o remanejamento entre regiões.


Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo