Militar em voo presidencial é preso na Espanha com 39 quilos de cocaína

Por Metro Jornal

Um sargento da Aeronáutica foi detido na terça-feira (25) em Sevilha, na Espanha, acusado de transportar 39 quilos de cocaína em sua bagagem. O militar assumiria o voo do avião reserva do presidente Jair Bolsonaro em rumo ao Japão, em comitiva com outros 20 militares.

A detenção ocorreu durante um processo de rotina da alfândega espanhola. A polícia espanhola afirmou, em nota, que a droga estava na bagagem de mão do militar de 38 anos, dividida em 37 pacotes. O militar vai responder por tráfico de drogas – no país europeu considerado um crime contra a saúde.

Veja também:
MBL e Vem Pra Rua organizam atos pró-Moro no domingo
Bandidos invadem pequena cidade do RN, metralham delegacia e roubam banco

O voo, que saiu de Brasília, fez uma escala em Sevilha e seguiu para Tóquio – sem o sargento, que permaneceu detido no sul da Espanha. Bolsonaro não estava entre os tripulantes deste avião, mas sim de outra aeronave que acabou mudando a escala para Lisboa, em Portugal.

Pelo Twitter, o presidente afirmou ter determinado ao ministro da Defesa, general Fernando Azevedo e Silva, que colabore com a polícia espanhola para a "pronta elucidação dos fatos". Ele tratou o caso como isolado e defendeu que "as Forças Armadas tem em seu contingente cerca de 300 mil homens e mulheres formados nos mais íntegros princípios da ética e da moralidade."


Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo