Merkel pretende usar acordo entre UE e Mercosul para questionar postura do governo Bolsonaro

Por Metro Jornal

A chanceler alemã Angela Merkel abordou, em discurso no Parlamento nesta quarta-feira (26/06), as relações entre os blocos da União Europeia e Mercosul. Em particular, ela mencionou o governo brasileiro de Jair Bolsonaro, o qual diz ver com "grande preocupação".

A fala de Merkel foi em resposta à parlamentar do partido Verde, Anja Hajduk, que questionou o investimento do governo alemão em negociações de livre-comércio com o Mercosul, diante da deterioração das frentes ambientalistas, cientistas e de direitos humanos no Brasil.

LEIA MAIS:
França divulga hipóteses oficiais da causa do incêndio de Notre-Dame
Brasileiros bebem mais que a média mundial, mostra pesquisa

A chefe de governo reiterou seu apoio às negociações, e afirmou que não vê como resposta adequada para a situação brasileira um recuo no acordo com o Mercosul. "Eu não acho que não levar adiante um acordo com o Mercosul vá fazer com que um hectare a menos de floresta seja derrubado no Brasil. Pelo contrário". A líder "de facto" da UE prometeu utilizar as discussões da cúpula do G20 para abordar os problemas do Brasil.

"Eu, assim como você, vejo com grande preocupação a questão da atuação do novo presidente brasileiro. E a oportunidade será utilizada, durante a cúpula do G20, para falar diretamente sobre o tema, porque eu vejo como dramático o que está acontecendo no Brasil", respondeu a chanceler.

A alemã continuou, assegurando "fazer o que for possível, dentro das minhas forças, para que o que acontece no Brasil não aconteça mais, sem superestimar as possibilidades que tenho. Mas não buscar o acordo de livre-comércio, certamente, não é a resposta para essa questão."


Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo