Calor extremo na Europa

Por Metro Jornal

A primeira onda de calor do verão europeu deste ano (que mal começou) chega hoje com força ao continente, onde localidades principalmente da Espanha e da França deverão registrar temperaturas próximas dos 40oC.  O calor está sendo provocado por um anticiclone originário do norte da África, que passa também pela Alemanha e pela Itália.

Na França, o serviço meteorológico Météo-France alertou para temperaturas que podem superar os 40ºC. “É algo sem precedentes, porque o calor chega cedo demais, em junho”, afirmou o meteorologista Emmanuel Demael, da agência francesa.

Na Espanha, o calor irá durar pelo menos até 1º de julho. Na sexta-feira, as temperaturas poderão alcançar 45°C em Girona e 44ºC, no fim de semana, em Zaragoza, ambas no nordeste do país.

O calor na Itália pode ser o mais forte para o mês de junho desde 2003. Os termômetros devem subir mais no Piemonte, onde a previsão estima 42ºC. Para Milão, Ferrara, Bolonha e Trieste, a estimativa também gira em torno de 40ºC. Na região da Toscana, a previsão é de 39ºC, e, em Roma, a temperatura deve ficar entre 37ºC e 38ºC.

O DWD (Serviço Meteorológico Alemão) informou que algumas regiões do país poderão superar o recorde para o mês de junho, de 38,2ºC, registrado em Frankfurt em 1947 – 72 anos atrás –, diz a agência Deutsche Welle.

“Esse calor é exatamente como o previsto pela ciência do clima e ocorre como consequência do aquecimento global, gerado pelo aumento dos gases causadores do efeito estufa, como os que advêm da queima de carvão, petróleo e gás”, disse Stefan Rahmstorf, do Instituto de Pesquisa dos Impactos no Clima de Potsdam.

O cientista alerta para o que diz não ser uma coincidência: “Os verões mais quentes na Europa desde 1500 são todos do início deste século 21: 2018, 2010, 2003, 2016, 2002”.  


Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo