Briga doméstica agita disputa pelo governo britânico

Por Agência Brasil

A disputa pela sucessão do governo britânico foi abalada por uma briga doméstica neste fim de semana.

O jornal The Guardian informou hoje (22) que a polícia foi chamada ao lar do ex-ministro do Exterior britânico Boris Johnson, favorito à sucessão da premiê britânica, Theresa May, na madrugada de sexta-feira, depois de vizinhos terem ouvido uma barulhenta discussão entre ele e a namorada.

Policiais receberam a ligação à 0h24 (hora local). No telefonema, a denunciante disse ter ouvido gritos e estrondos e expressava sua preocupação com a segurança de uma mulher na vizinhança.

O jornal afirma que a parceira de Johnson, Carrie Symonds, foi ouvida gritando para Johnson frases como "saia de cima de mim" e "saia do meu apartamento".

A polícia metropolitana de Londres confirmou ter sido chamada por um residente local, mas que "todos os ocupantes do endereço estavam bem e em segurança".

Segundo a versão de um vizinho, Carrie Symonds repreendeu Johnson por ter manchado um sofá com uma taça de vinho e o acusou de não ter "cuidado com nada", pois "ele não se importa com nada".

Gritos na madrugada

The Guardian garantiu ter tido acesso a uma gravação onde se ouve como Johnson se nega a deixar a casa e grita para sua parceira ficar longe do "maldito computador", antes de ser ouvido um som alto de algo quebrando.

A notícia da briga doméstica ganhou as primeiras páginas dos jornais deste sábado, enquanto as casas de apostas ainda continuam considerando Johnson favorito para se tornar o novo primeiro-ministro britânico. Mas analistas alertam que o incidente pode comprometer suas chances.

Johnson se separou no ano passado da sua mulher, Marina Wheeler, após 25 anos de casamento e quatro filhos, depois de vir à tona seu relacionamento com Carrie, de 31 anos, que trabalha para o Partido Conservador. Este era o segundo casamento do político, que foi casado entre 1987 e 1993 com Allegra Mostyn-Owen.

O ex-ministro do Exterior disputa com o atual titular da pasta, Jeremy Hunt, a chefia do governo e a liderança do Partido Conservador.
Johnson garantiu recentemente seu lugar no segundo turno da escolha para o posto, sendo considerado o grande favorito.

Quem sair vitorioso, se torna automaticamente o sucessor de Theresa May.

A votação entre os dois, realizada durante quatro semanas entre os 160 mil afiliados do partido Conservador, deve ter seu resultado anunciado em 22 de julho.


Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo