Bombeiros fazem rescaldo na ponte do Jaguaré; estrutura será avaliada

Por Estadão Conteúdo

O Corpo de Bombeiros faz na manhã desta sexta-feira (21) o rescaldo ma ponte do Jaguaré, na Marginal do Pinheiros. Um incêndio atingiu a parte de baixo da estrutura, no sentido de Interlagos. O capitão dos Bombeiros Marcos Nogueira informou que 29 viaturas com 75 bombeiros atuaram no combate ao incêndio.

Por volta das 8h, a corporação informou que o fogo estava controlado. Nas imagens era possível observar madeiras e até veículos antigos queimados. Nogueira informou que havia 40 moradias no local e que cerca de 100 pessoas moravam em barracos.

Leia mais:
Parada LGBT+ deve reunir 3 milhões de pessoas na Paulista
Tempo seco favorece doenças como rinite e sinusite

"Não há informes de vítimas. Quando chegamos, havia pessoas tentando tirar pertences, mas não tinha ninguém no ponto principal do incêndio."

Possíveis danos estruturais na ponte serão avaliados pela Defesa Civil, que deve iniciar a análise após o fim do trabalho dos bombeiros. As causas do incêndio serão apuradas.

A ponte fica localizada perto da Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo (Ceagesp), na zona oeste da cidade

Famílias que moravam no local estão reunidas no entorno e equipes da Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social (Smads) fizeram o cadastro das pessoas afetadas pelo incêndio, segundo os desabrigados. Há muitas crianças, idosos e gestantes entre os afetados pelo incêndio.

A agricultora Micaele Apolinário, de 25 anos, estava dormindo quando ouviu os gritos dos vizinhos. Ela, que morava no local com o filho de 5 anos e o marido, caiu durante a fuga e machucou as pernas.

"Estava com o meu menino no colo e caí. Eu me levantei sozinha e continuei correndo. Meu filho não se machucou."

Ela conseguiu salvar apenas alguns documentos. "Só consegui pegar os meus e os do meu marido. Os documentos do meu filho ficaram lá."

Com a filha de 3 meses no colo, o borracheiro Maurício Feli Cavalcante, de 41 anos, foi avisado pelo primo quando as chamas começaram a se alastrar. A mulher dele, a dona de casa Diana Cristina de Souza, de 30 anos, saiu com ele, mas voltou para buscar pertences do bebê e documentos.

"Peguei a bolsa da minha filha, mas perdemos tudo. Só sinto por não ter conseguido trazer as fraldas dela. Tinha uns dez pacotes em casa."

O chamado foi registrado às 6h. Além do Corpo de Bombeiros e da Defesa Civil, a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), a Polícia Militar (PM) também auxiliaram na ocorrência. A Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) e a concessionária de energia Enel foram acionadas.


Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo