Preso desde 2010, goleiro Bruno pode ir para o regime semiaberto

Por Mardélio Couto - BandNews FM

A Justiça de Minas Gerais vai julgar nesta quarta-feira (19) o direito a progressão de pena para o regime semiaberto do goleiro Bruno Fernandes.

Em fevereiro deste ano, o jogador foi penalizado por falta grave ao usar telefone celular e marcar encontro com mulheres enquanto realizava trabalhos externos com autorização da Justiça. No mês seguinte, o Conselho Disciplinar do Presídio de Varginha inocentou o goleiro.

Veja também:
Mundo teve mais de 70 milhões de refugiados e deslocados em 2018, diz ONU
Moro vai ao Senado se defender de acusações após ter mensagens privadas divulgadas

Mas o caso seguiu em julgamento na Justiça da cidade, que identificou a existência da falta. Se conseguir derrubar a penalidade por falta grave, a defesa do ex-atleta poderá solicitar que Bruno migre para o regime semiaberto, quando o presidiário pode deixar a prisão durante o dia para trabalhar e retornar à noite.

Bruno foi condenado pelo homicídio triplamente qualificado da ex-modelo Eliza Samúdio e sequestro e cárcere privado do filho, o Bruninho. A pena estabelecida foi de 22 anos e 3 meses.

Habeas corpus

Em 2017, o goleiro chegou a deixar a prisão por dois meses após um habeas corpus cedido pelo ministro do STF (Supremo Tribunal Federal), Marco Aurélio Mello. Neste tempo, ele chegou a assinar contrato e se apresentar como jogador do Boa Esporte Clube, clube de Varginha. A 1ª turma do STF cassou a liminar e Bruno voltou para a prisão.


Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo