Odebrecht entra com pedido de recuperação judicial

Por Metro Jornal com Estadão Conteúdo

A Odebrecht oficializou, nesta segunda-feira (17), o pedido de recuperação judicial. O pedido ajuizado contempla R$ 51 bilhões de dívidas concursais, ou seja, passíveis de proteção de credores pela Justiça, excluídos neste montante os valores entre as próprias empresas do Grupo e créditos extraconcursais.

A companhia enfrenta dificuldades desde o início dos trabalhos da Operação Lava Jato. Um comunicado interno, publicado no site da empresa, atribui a decisão ao "vencimento de algumas dívidas e a ataques judiciais que trariam prejuízos significativos às nossas empresas".

LEIA MAIS:
Governo confira Gustavo Montezano como novo presidente do BNDES
David Miranda, do PSOL, denuncia à PF ameaças de morte, estupro e esquartejamento

Em nota assinada pelo diretor presidente Luciano Guidolin, a empreiteira disse que todas as empresas do grupo continuarão com as atividades normalmente e que manterá informados os acionistas, integrantes e todas as partes interessadas no processo.

Não são inclusas no pedido de recuperação judicial algumas das sociedades formadas pela Odebrecht, como a Braskem S.A., Odebrecht Engenharia e Construção S.A., Ocyan S.A., OR S.A., Odebrecht Transport S.A., Enseada Industria Naval S.A. A Odebrecht Corretora de Seguros, Odebrecht Previdência e Fundação Odebrecht também ficaram de fora.

A empreiteira, afetada pela crise econômica e com a reputação minada após escândalos de corrupção no Brasil e internacionalmente, chegou a manter apenas 48 mil postos de trabalho – grande redução frente aos 180 mil que já atingiu.

A Odebrecht afirma ainda que continua empreendendo todos os esforços para otimizar sua liquidez e normalizar sua estrutura de capital, "com o objetivo de reestruturar seus negócios de forma definitiva, viabilizando, assim, a manutenção dos empregos, do conhecimento tecnológico brasileiro e a criação de valor sustentável no interesse da sociedade e demais partes interessadas".

 


Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo