David Miranda, do PSOL, denuncia à PF ameaças de morte, estupro e esquartejamento

Por Metro Jornal

A assessoria do deputado federal David Miranda, do PSOL-RJ, afirmou ter contatado a Polícia Federal sobre ameaças que estaria recebendo desde o início das publicações do site The Intercept Brasil, envolvendo conversas vazadas de membros da Operação Lava Jato.

Miranda é casado e tem dois filhos com o jornalista e fundador do veículo The Intercept, Glenn Greenwald, que recentemente encarou pedidos de sua "deportação" nas redes sociais. O parlamentar também iniciou seu mandato em substituição ao colega de partido Jean Wyllys, que desistiu de assumir o cargo ao qual foi reeleito por preocupações sobre sua segurança.

As mensagens foram encaminhadas à polícia na última terça-feira (11), e têm como alvo o próprio deputado e sua família. As ameaças falam em morte, estupro e esquartejamento. Segundo a assessoria jurídica de David, os e-mails são assinados com o nome de Marcelo Valle.

Marcelo Valle corresponde ao idealizador do fórum Dogolachan, acessado apenas através da deep web, e que fez reputação por propagar anonimamente conteúdos violentos. Pedofilia, homofobia e incitação ao estupro são alguns exemplos.

No momento, Valle cumpre pena de 41 anos em regime fechado por associação criminosa, divulgação de imagens de pedofilia, racismo, coação, incitação ao cometimento de crimes – como estupro e feminicídio – e terrorismo cometidos na internet. A assessoria de David levanta a possibilidade das ameaças ao deputado serem enviadas também por usuários do fórum Dogolachan.

Anteriormente, no dia 13 de março, Miranda abriu queixa-crime na Polícia Federal por ameaças recebidas após assumir o posto de Jean Wyllys na Câmara.


Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo