Intervenção artística na avenida Paulista chama atenção para a doença progressiva PAF

Por Metro Jornal

Uma intervenção artística na avenida Paulista neste fim de semana busca trazer visibilidade à doença progressiva PAF (Polineuropatia Amiloidótica Familiar). A ação ocorre na altura do parque Prefeito Mário Covas, altura do número 1.853, entre sexta (14) e domingo (16), das 18h às 23h.

A iniciativa é organizada pela Abpar (Associação Brasileira de Paramiloidose) e a farmacêutica Pfizer e se baseia em projeções de imensos rostos de pacientes diagnosticados com PAF que poderão ser vistos por pedestres e motoristas que circularem pelo local.

“[Os rostos] não são estáticos, eles fazem o movimento de abrir os olhos, em um gesto simbólico que convida a sociedade a fazer uma pausa em seu cotidiano frenético para olhar com atenção para essas pessoas, enxergar seus desafios e conhecer suas histórias”, afirma a artista Roberta Carvalho.

Dentro do parque, uma escultura interativa contém centenas de ímãs com frases que descrevem sonhos em comum. O espectador é convidado a levar um desses sonhos para casa e, conforme os sonhos se distribuem, fotos dos pacientes retratados durante as projeções serão revelados.

Sobre a PAF

A PAF é uma doença neurológica hereditária rara e degenerativa. Ela causa uma aglomeração de proteínas anormais nos tecidos do organismo, causando dores fortes e formigamento no corpo e sensibilidade da pele.

Os sintomas costumam aparecer entre os 30 e 40 anos de idade. No Brasil, não há estatística oficial sobre a presença da doença. Segundo a Pfeifer, a estimativa é que milhares de brasileiros tenham ou possam desenvolver sintomas da PAF.

Ação PAF avenida paulista Projeções serão vistas por quem passa pela avenida Paulista

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo