Prefeitura vai buscar União por ação com usuário de droga

Por Metro Jornal

A Prefeitura de São Paulo vai buscar aproximação e apoio do governo federal para seu programa de tratamento de usuários de drogas, o Redenção.

A intenção foi anunciada nesta segunda-feira após reunião entre a prefeitura e o governo estadual. Será agendada uma reunião para discutir como a União pode colaborar, até com recursos.

Lei federal aprovada pelo Senado no mês passado, de autoria do então deputado e hoje ministro da Cidadania, Osmar Terra (MDB-RS), permite internação involuntária de dependentes químicos – com autorização da família, sem que o paciente queira.

Apesar de o Redenção ter trabalhado apenas com internações voluntárias, seu coordenador de Saúde, Arthur Guerra, disse que, “em alguns casos, a internação compulsória [a determinada pela Justiça] está indicada”.

Segundo Guerra, nos seis anos do programa estadual Recomeço, que faz tratamento de usuários de droga, 0,03% das internações foram compulsórias, e 12% a 15%, involuntárias.

Dartiu Xavier, professor do  Departamento de Psiquiatria da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo), disse que internações involuntárias ou compulsórias foram testadas por muitos anos em vários lugares do mundo e já há um consenso médico e científico de que não funcionam. “95% de quem é internado compulsoriamente recai no vício”, afirmou.  


Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo