Mandantes de massacre que deixou 57 presos mortos em Manaus serão transferidos para unidades federais

Por Metro Jornal

Os mandantes dos ataques que terminaram com 57 presidiários em Manaus (AM), em menos de 48 horas, serão transferidos até o fim desta semana para presídios federais. O massacre ocorreu em quatro penitenciárias da cidade, entre domingo (26) e segunda-feira (27).

O governo do Amazonas confirmou na noite de segunda que havia identificado os responsáveis. Serão nove presidiários, cujas identidades não serão reveladas. Segundo a Seap (Secretaria de Administração Penitenciária), a motivação seria um desentendimento entre presos da mesma facção criminosa que atua no tráfico de drogas na região.

Veja também:
Velório de Gabriel Diniz em João Pessoa reúne familiares, amigos e fãs
Justiça declara inimputável esfaqueador de Bolsonaro

Na madrugada desta terça-feira (28), o ministro Sergio Moro (Justiça e Segurança Pública) confirmou as vagas nos presídios federais pela rede social Twitter. Em nota, a pasta afirmou que enviará uma FTIP (Força-tarefa de Intervenção Penitenciária) para atuar em um dos presídios.

Os conflitos ocorreram em dois momentos separados. No domingo, uma briga entre detentos de dois pavilhões terminou com 15 mortos – asfixiados ou perfurados com escovas de dentes. Depois, na segunda, 42 pessoas foram encontradas mortas em suas celas, a maioria com indício de asfixia.


Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo