Mãe que teria jogado filha pela janela e pulado segue em estado grave

Por Metro Jornal

Segue internada em estado grave a mulher suspeita de ter jogado a filha de três anos da janela do quinto andar de seu apartamento no Jaguaré, zona oeste de São Paulo. Durante negociações com o Corpo de Bombeiros, ela ateou fogo nas cortinas e pulou do prédio.

O caso ocorreu no início da madrugada de sexta-feira (24) e as duas sobreviveram à queda. A filha teve o impacto da queda reduzido por ter caído em cima de um carro que entrava no edifício.

Veja também:
Prefeitura suspende assinatura de contratos de ônibus após TJ-SP derrubar lei
Cresce número de sistemas invadidos por hackers; Brasil é o terceiro em golpes no mundo

Os bombeiros afirmam terem recebido um chamado por volta das 0h30 sobre a queda da criança. Depois, foram duas horas de negociação para que a mãe se entregasse. Parte da ação foi gravada, e é possível ver a equipe tentando acalmar a mulher, que perguntava sobre a saúde da filha. “Olha que coisa boa! Ela caiu sobre um carro e não se machucou”, respondeu um deles.

A mulher, que teve a identidade preservada, responderá por tentativa de homicídio. Ao portal G1, o capitão do Corpo de Bombeiros afirmou que a mãe não foi tratada como criminosa, e sim como uma pessoa que precisava de atendimento médico enquanto enfrentava um surto psicótico.


Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo