Cracolândia: Entenda o plano da prefeitura para recuperar dependentes químicos de São Paulo

Por Eduardo Ribeiro - Metro São Paulo

A Prefeitura de São Paulo quer retirar das ruas da Cracolândia 80% dos usuários até o fim do ano que vem. Essa é uma das premissas da 2ª fase do Programa Redenção, anunciada na segunda-feira (20). Além de buscar reduzir o número de usuários na região da Luz –sem no entanto esclarecer qual a base para cálculo dos 80% de redução–, a iniciativa oferecerá 600 vagas de bolsa trabalho por meio do criado Siat (Serviço Integrado de Acolhida Terapêutica). O orçamento previsto é de R$ 276,1 milhões.

O Programa Operação Trabalho, reformulado, oferecerá empregos de 20 horas semanais e auxílio-financeiro de R$ 698, mas somente a quem estiver em tratamento.

Veja também:
Campanha do Agasalho 2019 terá doação de peças novas; veja como doar
Justiça Militar ouve sobrevivente e testemunhas de ação do Exército que matou dois inocentes

assistência social Abordagens dos dependentes químicos serão feitas por agentes de saúde que são ex-usuários de droga / Reprodução/Prefeitura de São Paulo

Para a secretária municipal de Desenvolvimento Econômico e Trabalho, Aline Cardoso, a falha do programa Braços Abertos, da gestão Fernando Haddad (PT), que usava o mesmo princípio, era que “apenas 35% tinham autonomia; 67% estavam fora dos requisitos; e apenas 45% tinham frequência satisfatória”.

A assessoria do ex-prefeito declarou que “a gestão Haddad foi a primeira na América Latina a procurar uma solução não manicomial, apresentando resultados expressivos tanto no consumo de drogas como na ressocialização pelo trabalho.”

Nas últimas três semanas, dois episódios de conflitos entre usuários e agentes de segurança na Cracolândia resultaram em depredação, disparo de bombas de efeito moral, um homem ferido por tiro na perna e uma mulher morta, baleada na cabeça.

Principais pontos

O Programa Redenção terá três etapas de recuperação dos usuários de drogas, nos chamados Siat (Serviço Integrado de Acolhida Terapêutica):

  • 1) Abordagem.
    A partir de agora, as abordagens dos dependentes químicos serão feitas por agentes de saúde que são ex-usuários de droga.
  • 2) Acolhimento.
    Será oferecido abrigo, lazer e alimentação.
  • 3) Desintoxicação.
    Durante essa etapa, o usuário terá emprego com auxílio financeiro de R$ 698. O objetivo é promover a reinserção social dos usuários.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo