Capes bloqueia bolsas de pós em todo o Brasil

Por Eduardo Ribeiro, Metro Jornal

A Capes (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior), do Ministério da Educação, anunciou na tarde de ontem que aplicará bloqueio preventivo em 3.474 bolsas de pesquisa. O presidente do órgão, Anderson Ribeiro Correia, explicou, em coletiva de imprensa, que as outras 1.324 bolsas de pesquisadores cursando pós-graduação no exterior, assim como mestrandos e doutorandos matriculados em programas com nota 6 e 7, que também foram bloqueadas, serão reabertas ainda nesta semana.

Segundo Correia, o governo federal terá uma economia de cerca de R$ 50 milhões por ano com o bloqueio. Em nota, a assessoria da Capes informa que atualmente são oferecidas 200 mil bolsas e que estão sendo analisadas as bolsas “ociosas”. “Essas bolsas estavam paradas por até um ano”, diz o texto.

A USP (Universidade de São Paulo), a Unesp (Universidade Estadual Paulista) e a Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) dizem que as bolsas cortadas estavam sem utilização por apenas duas semanas.

A pró-reitoria de Pós-Graduação da Unicamp afirmou que “já há inúmeros relatos que dão conta da insensatez da medida, dado que em muitos casos estava-se justamente buscando atribuir a bolsa ao aluno e o sistema não permitia”.

A ANPG (Associação Nacional de Pós-Graduandos) também questionou o parâmetro temporal: “Afinal, muitas vezes, pelos trâmites exigidos pela própria agência, a transição de uma bolsa de um pós-graduando formando para outro iniciante facilmente dura 15 dias, ou um mês, já que há dias específicos para abertura dos sistemas.”


Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo