Em menos de uma semana, Coreia do Norte faz novo teste com projéteis de curto alcance

Por Reuters

A Coreia do Norte disparou nesta quinta-feira o que aparentaram ser dois mísseis de curto alcance, disseram forças militares da Coreia do Sul, menos de uma semana após o líder norte-coreano, Kim Jong Un, supervisionar um teste de disparos de múltiplos foguetes e de um míssil.

Os lançamentos ocorreram enquanto o enviado especial dos Estados Unidos na Coreia do Norte, Stephen Biegun, estava em Seul, capital da Coreia do Sul, para dialogar com o ministro das Relações Exteriores sul-coreano, Kang Kyung-wha, e seu homólogo, o representante nuclear Lee Do-hoon.

Leia mais:
Polícia Civil investiga ex-funcionários de banco acusados de desvio de dinheiro
Papa Francisco torna obrigatória denúncia de abusos sexuais

Os dois mísseis foram disparados por volta de 04h29 e 04h49 (horário de Brasília), da região noroeste de Kusong, em direção ao leste, informou um comunicado dos Estado-Maior das Forças Armadas sul-coreanas.

Os projéteis cobriram distâncias de 420 e 270 quilômetros, respectivamente, e alcançaram uma altitude de cerca de 50 quilômetros antes de caírem no oceano, disseram os militares.

Analistas afirmaram que era cedo demais para identificar com precisão qual era o tipo dos mísseis.

“Você não sabe qual tipo de míssil é apenas por quão longe voaram”, disse Yang Uk, um pesquisador sênior do Fórum de Defesa e Segurança da Coreia.

Tal alcance provavelmente superaria a maioria dos foguetes que a Coreia do Norte disparou no sábado a partir de sua costa leste em direção ao oceano, ampliando a tensão em um momento de impasse nas negociações com os Estados Unidos.

“A Coreia do Norte retornou às suas clássicas táticas de escalada de antes”, acrescentou Yang. “Eu acredito que eles vão continuar escalando ao usar o que parecem ser mísseis de curto alcance, algo que não vai causar reação dos EUA de imediato”.

Depois do lançamento desta quinta-feira, forças militares sul-coreanas informaram que reforçaram o monitoramento e a segurança em caso de outro lançamento, além de estarem trabalhando com os Estados Unidos para obter informações adicionais sobre os mísseis envolvidos.


Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo