Medida de Bolsonaro para aumentar validade da CNH divide opiniões dos especialistas

Por Caio Rocha - Rádio Bandeirantes

A intenção do presidente Jair Bolsonaro de aumentar de cinco para 10 anos a validade da CNH divide a opinião de especialistas. Até 1997, o motorista só era obrigado a renovar a habilitação quando completava 40 anos de idade.

Duas décadas atrás, cerca de 35 mil pessoas morreram em acidentes de trânsito no Brasil. Como comparação, segundo o balanço mais recente do SUS, o número de vítimas chegou a 34 mil em 2017.

Leia mais:
Manifestantes no centro de São Paulo protestam por melhoras nas moradias
Lady Gaga aparece com look estilo ‘boneca russa’ no tapete do MET Gala; assista a transformação

Apesar de parecerem iguais, os índices são muito diferentes por causa do tamanho da frota. Nos 20 anos que separam os dois períodos, o número de veículos no país aumentou mais de 160%.

A partir de 1997, o Código de Trânsito Brasileiro foi ficando mais rígido com mudanças como a renovação da carteira a cada cinco anos. Para o especialista em legislação de trânsito Ronaldo Cardozo esse prazo é muito curto.

“A pessoa já chega aos 50, 60 anos em plena saúde. Qual seria o motivo de manter uma avaliação médica pra habilitação em prazos de cinco em cinco anos?”, questiona Cardozo.

O diretor científico da Associação Brasileira de Medicina de Tráfego, Ricardo Hégele, tem outra posição: “Imagine uma pessoa na fase dos 30 aos 40 anos, quando há grande possibilidade de desenvolvimento de diabetes, a questão de enfarte, derrames…”.

Além de aumentar a validade da CNH, Bolsonaro também defende a elevação da quantidade de pontos para a perda da habilitação dos atuais 20 para 40. As duas ideias vão integrar um projeto de lei que está em fase final de elaboração e será enviado ao Congresso.


Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo