Quadrilha fraudava vestibular de medicina

Por Metro Jornal

De R$ 80 mil a R$ 120 mil era o preço que uma organização investigada pela Polícia Civil e Ministério Público cobrava para garantir uma vaga no vestibular de medicina no interior de São Paulo.

Neste sexta-feira, a Operação Asclépio prendeu 17 pessoas e executou 55 mandados de busca em Presidente Prudente. Foram apreendidos dinheiro, cheques, carros de luxo e motos, todos de acusados de participar da organização criminosa.

LEIA TAMBÉM:
Planetário de São Paulo faz sessão especial gratuita sobre buraco negro nesta sexta
Vítimas de enchente podem fazer 2ª via de CNH sem custo

A investigação começou em abril de 2017, após a denúncia de um esquema de fraude no vestibular da Fundação Educacional do Município de Assis (FEMA). Na ocasião, a direção da escola descobriu que pelo menos 5 pessoas estavam fazendo os exames usando nomes de outros inscritos no vestibular.

A polícia apurou que a organização era sofisticada e operava em três núcleos: coordenação, captação de clientes e infiltrados dentro das universidades para fraudar digitais, assinaturas e outras facilidades ao grupo. Uma das universidades envolvidas no esquema da quadrilha ficava em Fernandópolis, no interior de São Paulo.

 

 

 

 

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo