Chuva deixa oito mortos no Rio de Janeiro; cidade entra em estágio de crise

Por Metro Jornal

Ao menos oito pessoas morreram após um forte temporal na noite de segunda-feira (8) no Rio de Janeiro. A cidade entrou em estágio de crise às 20h55 e a recomendação da prefeitura é de que as pessoas não saiam de casa.

As vítimas foram três homens e duas irmãs. Guilherme Fontes, 30 anos, teria morrido afogado na Gávea, zona sul, após ser arrastado pela água em uma das principais vias do bairro – ele ficou preso debaixo de um carro.

Leandro Ramos Pereira, de 40 anos, levou um choque em Santa Cruz, zona oeste. Ele limpava o ralo de sua residência.

Já as irmãs Doralice e Gerlaine do Nascimento, de 55 e 53 anos, teriam ficado soterradas após um deslizamento de terra atingir a casa em que estavam no Leme, zona sul. Duas pessoas ficaram feridas e um homem segue desaparecido.

O quinto morto em Botafogo, zona sul, ainda não foi identificado.

As outras três vítimas foram encontradas pelos bombeiros em um carro sob uma pedra que deslizou.

Veja também:
Reforma da Previdência trata igualmente gari e deputado, diz Guedes
Loja na rua 25 de Março sofre incêndio e via fica bloqueada

Às 22h, um novo trecho da ciclovia Tim Maia cedeu. A via exclusiva, inaugurada em 2016, registra seu quarto desabamento, sendo o primeiro no mesmo ano de abertura, em que duas pessoas morreram. Nesta segunda, porém, ninguém ficou ferido.

Serviços públicos como escolas municipais foram suspensos para esta terça-feira (9), já que desde a madrugada o clima segue instável com chuvas moderadas e fortes. O governador Wilson Witzel (PSC) decretou ponto facultativo na região metropolitana para serviços do Estado. O prefeito Marcelo Crivella (PRB) afirmou que cinco mil funcionários da Prefeitura atuam nesta manhã em toda a cidade.

Estágio de crise

Veja quais são as recomendações da prefeitura para a população carioca em caso de estágio de crise, o nível mais alto de alerta:

  • Os habitantes das áreas de risco devem se deslocar imediatamente para locais seguros
  • Os moradores de áreas de encostas devem ficar atentos para indícios de ameaças de deslizamentos e estarem preparados para se deslocarem para locais seguros
  • As pessoas que estiverem em locais seguros devem permanecer nestes locais até o cancelamento do alerta
  • As vias urbanas que atravessam os maciços montanhosos da cidade e as áreas inundáveis devem ser evitadas
  • Evite transitar em áreas alagadas e próximas a córregos, canais e rios sujeitos a transbordamentos
  • Em casos de ventos fortes e/ou chuvas com descargas elétricas, evite ficar próximo a árvores, redes de distribuição de energia elétrica ou em áreas descampadas
  • Se necessário, use os telefones de emergência 193 (Corpo de Bombeiros), 199 (Defesa Civil) ou 1746 (Central de Atendimento da Prefeitura)
Chuva Rio de Janeiro Sergio Moraes/Reuters
Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo