Mudança no Tesouro Direto melhora rentabilidade de título; entenda

Por Metro Jornal

O Tesouro Nacional reduziu a diferença entre a taxa de investimento e a taxa de resgate – conhecida como spread – do Tesouro Selic de 0,04% para 0,01% ao ano. A medida elimina o risco de o papel render menos que a poupança em algumas ocasiões.

No caso de resgates próximos à data de aniversário da caderneta, a poupança rendia mais que o Tesouro Selic se o dinheiro fosse retirado até seis meses depois da aplicação. “Com a redução do spread, a discreta perda que o investidor tinha com a venda antecipada do título se reduz praticamente a zero, aumentando a rentabilidade em relação ao cenário anterior”, diz o professo Mackenzie, Pedro Raffy Vartanian.

Segundo ele, outra mudança importante, anunciada ainda em 2018, foi a redução da taxa de custódia sobre todos os títulos cobrada pela B3, que era de 0,30% e, no ano de 2019, passou para 0,25%. Vartanian explica que essas vantagens foram ampliadas no período recente em decorrência do patamar da Selic no piso histórico de 6,5%.

Veja também:
Brasil já tem mais de 8 milhões de registros do MEI
Receita libera novo lote de restituições do Imposto de Renda

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo