Homem morre baleado por militares no Rio de Janeiro; vítima era segurança e músico

Por Metro Rio com Agência Brasil

Militares do Exército mataram um homem e feriram o sogro dele, por volta das 14h40 de domingo (7), depois de atirarem em um carro branco na Estrada do Camboatá, nas imediações do Piscinão de Deodoro, em Guadalupe, na zona oeste. Um pedestre que passava pelo local também foi atingido. A vítima foi identificada como Evaldo Rosa dos Santos, 51 anos, que era conhecido como Manduca, e seu sogro, Sérgio.

A vítima dirigia o veículo, onde também estavam a mulher dele, o filho, de 7 anos, e a afilhada, de 13. Eles estavam indo para um chá de bebê. Familiares alegam que os militares confundiram o carro com o de bandidos. O CML (Comando Militar do Leste), no entanto, negou a confusão.

Mais de 80 disparos foram feitos, segundo peritos da Delegacia de Homicídios. Em nota, o CML alegou que, às 14h40, a tropa se deparou com um assalto nas imediações do Piscinão de Deodoro. “Ao avistarem a patrulha, dois criminosos, que estavam a bordo de um veículo, atiraram contra os militares, que reagiram.”

Veja também:
Muro desaba em cima de 11 carros em Curitiba
Manifestações no país levam ‘rivais’ às ruas no domingo

Ainda segundo o Exército, um dos assaltantes morreu no local e o outro foi ferido e levado para o hospital. A nota também diz que um pedestre que passava pelas imediações foi ferido e socorrido.

Em outra nota, enviada à noite, o CML informou que determinou que todos os militares e testemunhas sejam ouvidos na Delegacia de Polícia Judiciária Militar. Ainda segundo a nota, o Ministério Público Militar está supervisionando os depoimentos.

Nas redes sociais, um morador da região divulgou um vídeo em que afirma que as vítimas não eram assaltantes, mas integrantes de uma família que estavam no carro. O homem que morreu era segurança, músico e foi cavaquinista do grupo de samba “Remelexo da cor”.

Ataque no Muquiço

Pela manhã, tropas do Exército foram atacadas por bandidos perto da comunidade do Muquiço, em Guadalupe. Não houve feridos. Os militares informaram que o caso não tem nada a ver com o veículo atingido por disparos na tarde de domingo.

Jovem é morto em blitz

Na madrugada da última sexta-feira, um jovem de 19 anos morreu após furar uma blitz montada por militares do Exército, na Vila Militar, em Realengo, na zona oeste. Os militares afirmam que Christian Felipe Santana, 19 anos, estava acompanhado de outros três suspeitos, em duas motos, quando o grupo desobedeceu uma ordem de parada. No domingo, a família dele protestou na Vila Militar.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo