São Bernardo terá remédios de alto custo em 30 dias, diz governo

Por Metro ABC

O governo de São Paulo deu início ontem ao processo de descentralização da entrega gratuita de medicamentos de alto custo no ABC. A distribuição que sempre ocorreu no Hospital Mário Covas, em Santo André, agora será realizada também no Poupatempo de São Bernardo, localizado na rua Nicolau Filizola, 100, no Centro.

A estimativa é de que cerca de 12 mil pessoas retirem seus medicamentos no novo local. O posto deve ser aberto em até 30 dias, segundo prazo estabelecido pelo governo. Os procedimentos para retirada dos medicamentos serão os mesmos dos protocolos clínicos e diretrizes terapêuticas do Ministério da Saúde. Os pacientes precisam levar documento de identidade original, comprovante de residência e o Cartão Nacional de Saúde.

Veja também:
Igreja de São Bernardo passa por reforma antes de completar 60 anos
Tiroteio termina com dez assaltantes mortos em Guararema; quadrilha tentou roubar bancos

A discussão para que o ABC tivesse mais pontos de distribuição de medicamentos de alto custo é antigo. Desde 2011, o assunto é tratado entre os municípios. No ano passado, após reunião no Consórcio Intermunicipal do ABC, chegou a ser definido que São Bernardo e Mauá teriam pontos de atendimento. Naquela ocasião, o então governador Geraldo Alckmin (PSDB) havia declarado que o novo sistema seria implantado em projeto piloto, inicialmente, no Poupatempo de SBC.

Porém, o novo sistema não foi efetivado. Antes, em fevereiro de 2013, a ação já era uma das pautas a serem cobradas do governo. Em setembro, a reivindicação foi encaminhada à Secretaria Estadual da Saúde. Em junho de 2015 surgiu a proposta de entrega dos remédios nos Ambulatórios Médicos de Especialidades (AMEs) de Santo André e Mauá, além da continuidade do serviço no Hospital Mário Covas. Em agosto, nova tratativa. Em ambos os casos, nada aconteceu.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo