Distrito Federal tem a primeira morte por leptospirose deste ano

Por Bruno Bucis - Metro Brasília

A Secretaria de Saúde do Distrito Federal confirmou na quarta-feira (3) que um homem que trabalhava na Asa Norte morreu de leptospirose. É o primeiro caso de óbito da doença no DF neste ano.

Não foram detalhadas as atividades que o homem desempenhava, mas a pasta garantiu que a contaminação ocorreu no local de trabalho dele. Pessoas que tiveram em contato com ele passaram por procedimentos para evitar a infecção.

O caso dele é o sexto registro da doença no DF apenas nos três primeiros meses de 2019. No ano inteiro de 2018 foram registrados sete casos, mas com maior complexidade e que levaram a quatro mortes. Em 2017 também foram sete infectados, mas apenas uma morte foi registrada.

Veja também:
Réus do caso do jogador Daniel serão ouvidos nesta sexta
Bolsonaro se reúne com dirigentes de partidos em busca de apoio para reforma da Previdência

A leptospirose é uma doença bacteriana transmitida pela urina de animais infectados, em especial ratos, portanto costuma ter ploriferação durante enchentes, quando a urina infectada se dissolve na água, que posteriormente entra em contato com a pele das pessoas.

A doença, que é considerada rara, provoca febre, dor de cabeça e vermelhidão nos olhos, tem tratamento desde que descoberta em estágios iniciais.

Para evitar contágios, a Secretaria de Saúde orienta ao morador que, ao observar grande concentração de ratos, procure a Dival (Diretoria de Vigilância Ambiental em Saúde) pelos telefones (61) 2017-1344 ou (61) 99287-6635, ou a ouvidora da saúde, discar 160, para solicitar inspeção sanitária.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo