Prefeitura recorre da decisão que suspende proibição de fogos de artifício em São Paulo

Por Bruna Barboza - Rádio Bandeirantes

A Prefeitura de São Paulo vai recorrer da decisão do Supremo que suspende a vigência da lei que proíbe a utilização de fogos de artifício na cidade. A determinação do ministro Alexandre de Moraes acata pedido feito pela Associação Brasileira de Pirotecnia.

Segundo Moraes, embora seja louvável a preocupação dos legisladores com o bem-estar das pessoas e animais, a medida é questionável do ponto de vista constitucional. Isso porque, nesse caso, levando em conta o tipo de material, uma norma municipal não poderia impor restrições maiores do que a legislação federal.

Leia mais:
Prefeitura de Santo André descarta meningite como causa da morte do neto de Lula
Governo de São Paulo autoriza estudos para concessão das marginais

Ainda assim, Bruno Covas afirmou que vai entrar com recurso. “Vamos recorrer, não há a menor dúvida disso. Foi uma lei aprovada pela Câmara Municipal”, afirmou o prefeito de São Paulo.

A decisão já está valendo, mas o assunto ainda pode ser analisado pelo plenário do Supremo. Em agenda pública na manhã desta terça-feira (2), Covas também comentou a paralisação de funcionários do SAMU.

Eles são contra alterações no serviço como a realocação de mais de 30 bases e o fechamento de unidades. Apesar do protesto, a decisão não será revista, segundo o prefeito.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo