Governo recua de cortes e mantém Projeto Guri

Por Metro Jornal

O governo de São Paulo voltou atrás e decidiu manter sem cortes neste ano o Projeto Guri, que oferece iniciação musical a crianças e adolescentes em 382 polos no estado, atendendo hoje em dia a 64 mil pessoas.

Dos R$ 94,7 milhões previstos no ano para o programa, R$ 20 milhões seriam tirados devido ao enxugamento de quase R$ 150 milhões no orçamento para a Cultura em 2019, como parte de um contingenciamento de mais de R$ 10 bilhões nas despesas do estado.

O corte foi discutido com as organizações sociais que administram os polos. Na semana passada, funcionários do projeto receberam aviso prévio de que seriam demitidos em municípios como Campinas, Presidente Prudente, Itapetininga, São Carlos e Araraquara.

Após a repercussão negativa, o governador João Doria (PSDB) anunciou pessoalmente ontem que o projeto será mantido integralmente neste ano e ampliado em 2020 – ainda sem detalhes de quanto será o aumento. Doria disse que vai buscar investidores privados para ampliar o programa.

Segundo o secretário estadual de Cultura, Sérgio Sá Leitão, as OSs se “adiantaram” ao colocar funcionários em aviso prévio.

Questionado de onde serão tirados os R$ 20 milhões que retornaram ao Projeto Guri, o vice-governador, Rodrigo Garcia (DEM), disse que o déficit do estado passa de R$ 10 bilhões e que a gestão será feita “mês a mês”.

Se fosse mantido, o corte prejudicaria muito os alunos, segundo a desempregada Lilian Cardoso, 51 anos. “Aqui é maravilhoso, o aluno só sai quando aprende mesmo”, relata. “Minha filha ficou mais desinibida, aprendeu de tudo”.

Lorena Ferreira de Souza, 9 anos, começou o curso fazendo dois anos de iniciação musical. Agora, já está no segundo ano de violino e conta que o projeto acrescentou muito em sua vida. “Fiz muitos amigos, converso com todos e já até aprendi a ler partitura.”  

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo