Manifestações contra e a favor do golpe militar terminam em confusão em várias capitais

Por Felipe Garraffa - Rádio Bandeirantes

Manifestações contra e a favor aos 55 anos do golpe militar, completados no último domingo (31), terminaram em confusões em algumas capitais do país.

Na avenida Paulista, as brigas tiveram início quando os dois grupos se encontraram em frente ao prédio da Fiesp. O assessor parlamentar da deputada federal Carla Zambelli, do PSL, foi um dos agredidos.

Leia mais:
Planalto divulga vídeo em canal oficial que defende golpe militar de 1964
Governo corrige data para obras do Museu do Ipiranga de maio para setembro

Leandro Mohallem passou a madrugada desta segunda-feira (1) em um hospital na Barra Funda, na zona oeste de São Paulo. Segundo a Polícia Militar, o agressor foi preso.

No Rio de Janeiro, aproximadamente duas mil pessoas favoráveis ao retorno da ditadura militar estiveram na Cinelândia. Já em Brasília, o movimento foi muito menor.

Em Belo Horizonte, um grupo se reuniu na região central da cidade mineira com faixas que diziam: "Parabéns militares. 31/março/64. Graças a vocês o Brasil não é Cuba."

Os atos aconteceram em meio a polêmica envolvendo a fala do presidente da República, Jair Bolsonaro, que determinou que o ministério da Defesa fizesse as “comemorações devidas” pelos 55 anos do golpe.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo