Secretaria Municipal de Saúde define paralisação marcada pelo SAMU como "ilegal"

Por Band News FM

A Secretaria Municipal de Saúde diz que considera “ilegal” a paralisação de funcionários do SAMU convocada para amanhã. A afirmação relata que a interrupção do serviço, mesmo que parcialmente, pode “custar vidas”.

Em nota enviada à BandNews FM, a pasta diz ter tomado “as medidas jurídicas cabíveis” e promete “responsabilizar o sindicato e eventuais grevistas por qualquer dano causado à sociedade”.

Leia mais:
Abrigos para mulheres vítimas de violência existem em apenas 30 cidades de São Paulo
Ministério Público abre inquérito para apurar rompimento de barragem em Rondônia

Convocada por sindicatos dos servidores municipais, médicos e enfermeiros, a manifestação prevê uma assembleia geral, amanhã, às 14h, no Auditório do Sindicato dos Médicos de São Paulo. Segundo a organização, serão mantidas 30% das equipes atuando após o início do movimento, às 12h.

Os servidores afirmam que o protesto é contra a descentralização das bases e o fechamento de unidades; a Prefeitura argumenta que o novo modelo de gestão não reduz o número de postos e promete “melhorar o atendimento à população”.

Veja a nota da Secretaria Municipal de Saúde:

A Secretaria Municipal da Saúde considera a paralisação ilegal, já tomou as medidas jurídicas cabíveis e não medirá esforços para responsabilizar o sindicato e eventuais grevistas por qualquer dano causado à sociedade em função dessa paralisação.

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência é mais do que um serviço essencial e sua interrupção, ainda que parcial, pode custar vidas humanas. Só o fato de cogitar uma ação como essa já demonstra a irresponsabilidade da atual direção do sindicato, que move uma campanha de desinformação contra o Plano de descentralização e ampliação das bases do Samu cujo único objetivo é melhorar o atendimento à população, colocando mais funcionários na escala de serviço do SAMU e consequentemente aumentando o número de ambulâncias rodando para atender as ocorrências.

A Secretaria Municipal da Saúde também adotou medidas logísticas e de segurança, para que os funcionários do SAMU, possam trabalhar normalmente, sem a interferência de pessoas que desejam apenas tumultuar o serviço.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo