Tio de atirador chora e pede perdão às vítimas

Por Metro Jornal

O tio do atirador Luiz Henrique de Castro, 25 anos, pediu perdão às famílias das vítimas do massacre na escola de Suzano. “Eu não sei o que aconteceu com o menino. Em nome da família Castro, eu peço perdão. Nós também somos vítimas”, afirmou Américo Castro, 69 anos, em conversa com jornalistas na tarde de ontem.

O tio falou em tom bastante emocionado ao lado do advogado da família, logo após o enterro do jovem. “Não fizemos um velório em respeito às famílias das outras vítimas. A gente respeita a dor dos pais e mães daquelas famílias e é por isso que estou dando esse depoimento. Meu irmão e minha cunhada estão sem condições de falar.”

Vizinhos contaram que Luiz chegou a sair com o pai para trabalhar na manhã do ataque, mas teria dito que não se sentia bem para poder voltar e encontrar o amigo Guilherme Taucci Monteiro, 17 anos, para cometer o ataque.

“A mãe do Luiz me chamou por volta das 9h, preocupada, porque o pai disse que o menino tinha voltado para casa e me pediu para ligar para o celular dele”, relatou o aposentado Cesar Abidel, 53 anos, ao jornal Estado de S. Paulo. O ataque ocorreu por volta das 9h40. Luiz e o pai trabalhavam com serviços gerais, retirada de entulho e capinação.  

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo