12 milhões de foliões passaram pelos blocos de rua no carnaval de São Paulo

Por Metro Jornal

Cerca de 12 milhões de pessoas passaram pelos 391 blocos que desfilaram até aqui no Carnaval de rua paulistano, entre o fim de semana de pré-Carnaval (23 e 24 de fevereiro) e os quatro dias de folia entre o último sábado e a terça-feira, segundo balanço da Polícia Militar divulgado ontem por seu comandante, Marcello Salles. O número é 33% superior aos 9 milhões que participaram de 458 desfiles no mesmo período no ano passado.

Embora com menos blocos, o Carnaval de rua deste ano ficou mais descentralizado, com a retirada dos desfiles da avenida 23 de Maio e a inclusão de outras vias para os megablocos, como as avenidas Engenheiro Luís Carlos Berrini (zona sul), Marquês de São Vicente (zona oeste) e avenida Tiradentes (centro). As multas por fazer xixi na rua caíram na comparação entre os dois anos de 421 em 2018 para 244 em 2019.

Neste ano, houve queda de homicídios (-47,3%), de estupros (-12,2%) e de roubos (-4,9%) em todo o estado no Carnaval em relação ao ano passado, segundo a Secretaria da Segurança Pública (veja quadro com balanço de ocorrências nesta página).

Do ‘túmulo ao pódio’

O prefeito Bruno Covas (PSDB) disse ontem em entrevista ao Metro Jornal que São Paulo foi “do túmulo ao pódio” do samba e que a avaliação entre os “prós e os contras” da folia é favorável ao Carnaval de rua, Como exemplo, citou a ocupação média dos hotéis, que passou de 10% na década passada para 95% neste ano.

Mas não é porque temos o maior Carnaval de rua e um dos mais bem organizados que a gente chegou à perfeição. Precisamos melhorar muito, seja com ações que a prefeitura desenvolve, seja com campanhas educativas, porque não é a prefeitura que joga lixo no chão, faz xixi na rua e cria grande parte desses problemas.”

O prefeito afirmou que os incômodos para parte da população são inevitáveis por conta da descentralização da festa, que obrigou neste ano a criação de 300 percursos. “Haverá impacto, não há como, mas vamos trabalhar para o ano que vem uma forma de atenuar.”   

Total de registros policiais recua na folia deste ano

As regiões mais procuradas neste Carnaval tiveram menos ocorrências policiais na folia do que ano passado. Na região da Consolação, a redução foi de 47%  (de 306 para 160). Na República, o número recuou 41%. Também houve queda de ocorrências na Faria Lima (46%) e na Vila Madalena, 32%,  segundo o comandante da Polícia Militar, coronel Marcelo Salles, disse à Rádio Bandeirantes.

A Secretaria de Segurança Pública divulgou ontem que, entre os dias 1º e 5 de março, houve 1.430 pessoas foram presas no estado, dentro da operação Carnaval Mais Seguro. O número foi 226,5%  superior aos 438 detidos no Carnaval do ano passado. O número de furtos diminuiu 0,9%, com 71 ocorrências a menos que 2018.

Celulares furtados

No sábado, um colombiano foi preso em Pinheiros após uma jovem informar aos policiais que seu celular tinha sido furtado e que estava conseguindo rastreá-lo  por meio de outro aparelho. Ao seguirem o rastreador, acharam o homem com 58 aparelhos. Até o momento, 13 vítimas foram à delegacia e recuperaram seus celulares. 

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo