Ambulâncias ficam 8 meses paradas em Campinas

Por Metro Jornal Campinas

Cinco ambulâncias novas entregues pelo Ministério da Saúde, permaneceram ao menos oito meses paradas no pátio do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) de Campinas.

Durante esse período, a cidade foi atendida por 15 veículos alugados em contrato firmado no final de março do ano passado, a um custo R 1,1 milhão, por seis meses.

A secretaria confirmou que as cinco ambulâncias chegaram à cidade no início do segundo semestre do ano passado e que só foram colocadas para rodar na sexta-feira passada.

A secretaria informou que a demora foi consequência de uma série de circunstâncias, a maioria delas, referentes a questões burocráticas, como a documentação dos veículos; adequações dos carros junto a órgãos como Emdec, chipagem para  abastecimento de combustíveis ou definição sobre seguro.

“Para fazer o seguro, foi preciso fazer uma licitação”, argumentou a secretaria.

Houve ainda um período para adaptação dos carros para usos específicos e preparação dos motoristas para operar os veículos.

No início do ano passado,  a cidade sofreu com a falta de ambulâncias. Houve episódios em que a demora no atendimento superava cinco horas.

“É inacreditável que ambulâncias fiquem oito meses sem operar na cidade”, disse o vereador Marcelo Silva (PSD), que esteve no Samu e verificou o problema. 

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo