Mãe encontra vídeo com instruções para suicídio no YouTube Kids

Por Metro Jornal

Em 2015, o YouTube lançou um aplicativo chamado "YouTube Kids", com vídeos destinados especialmente para crianças. Com curadoria específica para esse grupo, qualquer conteúdo inapropriado é barrado e não pode ser visto no app.

No entanto, a Dra. Free Hess, pediatra e também mãe, denunciou em seu blog pessoal um vídeo perturbador que encontrou, mais de uma vez, na plataforma.

LEIA MAIS:
Adolescente usa Instagram para ameaçar fazer tiroteio em escola nos EUA e é preso

Segundo Hess, em julho de 2018 ela foi alertada por outra mãe sobre um vídeo que continha instruções para cometer suicídio. A filmagem mostrava um homem de óculos escuros ensinando a cortar seus próprios pulsos, e estava no meio de outro vídeo, aparentemente infantil.

Após notificações de usuários, o YouTube removeu o vídeo da plataforma, e cerca de uma semana mais tarde, ele foi derrubado. No entanto, a pediatra encontrou a gravação mais uma vez.

"Me deixa muito brava e frustrada", ela contou à emissora norte-americana CNN. "Eu sou pediatra, e tenho visto cada vez mais crianças com problemas de automutilação e tentativas de suicídio. Não tenho dúvidas de que mídias sociais e coisas como esta estão contribuindo".

No blog PediMom, ela escreve sobre a monitoração de tais plataformas infantis, e relata ter encontrado diversos conteúdos perturbadores. Alusões a não apenas suicídio, mas tráfico de seres humanos, violência armada e doméstica. Um deles, inspirado no jogo "Minecraft", simulava um tiroteio escolar, crime de frequência alarmante nos Estados Unidos.

Ela gravou alguns vídeos da própria tela do computador para comprovar sua presença no YouTube Kids, e os publicou em seu canal do YouTube. Neles, utilizando a estética e o mecanismo de jogos infantis populares, adultos simulam cenas de violência e terror.

No clipe a seguir, um personagem do jogo Minecraft é visto atirando com uma arma de fogo.

A pediatra, além de pedir uma regulação maior e mais intensa dos vídeos presentes na plataforma para crianças, afirmou que pais precisam estar presentes para monitorar o que seus filhos consomem.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo