São Paulo amanhece com chuva, muito trânsito e semáforos quebrados

Por Metro Jornal com BandNews FM

O temporal que atinge a cidade de São Paulo desde a noite de segunda (25) complicou – e muito – o trânsito de quem saiu de casa na manhã desta terça-feira (26). Às 8h, a capital registrava 155 quilômetros de congestionamento, de acordo com a CET (Companhia de Engenharia de Tráfego).

As médias para o horário são entre 55 e 80 quilômetros de filas. A tendência, segundo a companhia, é de que o trânsito fique ainda mais complicado – o pico de congestionamento da manhã costuma ocorrer entre 8h30 e 9h30.

ATUALIZAÇÃO: às 8h30, o trânsito atingiu 185 quilômetros da capital. Às 9h, chegou aos 193 quilômetros.

Segundo a CET, pelo menos 45 semáforos apresentaram problemas. Boa parte dos equipamentos inoperantes está na zona oeste da capital paulista – há dificuldades para os motoristas nas ruas Sapetuba, Camargo, Teodoro Sampaio, além da avenida Vital Brasil. Na zona leste, motoristas enfrentam transtornos com semáforos em manutenção pela avenida Aricanduva e pela rua Adelina Sanches Rodrigues.

Leia mais:
Doe sangue antes de ir pular Carnaval
Edifícios esvaziados no Morumbi são escorados

Na ligação Leste-Oeste, sentido Radial Leste, uma árvore caiu antes da saída para o Glicério. A via está parcialmente bloqueada embaixo do Viaduto Shuhei Uetsuka, na região da Liberdade.

Desde à meia-noite, a cidade já registrou 10 pontos de alagamento, de acordo com o CGE (Centro de Gerenciamento de Emergências). Às 8h, o único ainda ativo ficava na rua da Despedida, na subprefeitura da Lapa, altura do número 188, e era transitável. A Defesa Civil mantém toda São Paulo em estado de atenção para enchentes desde às 6h05.

Já na região de Taboão da Serra, a Rodovia Régis Bittencourt está totalmente bloqueada, altura do quilômetro 272, no sentido de São Paulo. Há um alagamento intransitável no local e o congestionamento começa no quilômetro 275.

Previsão para o dia

Segundo o CGE, a área de instabilidade que chega da região de Sorocaba começou a manhã atingindo as zonas sul e oeste com pancadas de chuva de maior intensidade. A previsão é que o temporal se espalhe para o restante da cidade nas próximas horas.

Chuva de segunda

O temporal de segunda à noite causou mais de 250 quedas de árvores na Região Metropolitana de São Paulo. Foram pelo menos 25 acionamentos dos bombeiros para endereços onde ocorreram desmoronamentos. Em Suzano, duas pessoas foram socorridas pelos bombeiros após a queda de uma laje.

Ouvintes da rádio BandNews FM que estavam nas estradas, entre elas Ayrton Senna e Anchieta, relataram a quantidade absurda de raios. Foram registrados ventos de mais de 80 quilômetros por hora no Mirante de Santana, na zona norte de São Paulo, e de 56 quilômetros por hora no aeroporto de Guarulhos.

No Brás, região central de São Paulo, houve chuva de granizo. Muitas regiões da capital sofreram com a falta de luz e semáforos apagados. O que não faltou foram quedas de árvores, inclusive nas estradas.

Em Santo André, o muro do velório da Vila Pires desabou. A área foi isolada pela Guarda Municipal, que acionou a Defesa Civil. Ainda em Santo André, uma árvore caiu em cima de um carro no cruzamento da Rua Alberto de Faria com a Avenida Valentim Magalhães, mas ninguém ficou ferido.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo