Ex-funcionária de campanha denuncia Trump por assédio sexual

Por Ansa

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, foi denunciado nesta segunda-feira (25) por assédio sexual contra uma funcionária de sua campanha eleitoral em 2016.

No processo apresentado em um tribunal da Flórida, Alva Jonhson afirma ter sido beijada pelo republicano sem consentimento poucos minutos antes de um comício realizado na cidade de Tampa.

LEIA TAMBÉM:
Poluição industrial deixa cidade russa coberta de neve verde – e tóxica

De acordo com o relato da suposta vítima, revelado pelo jornal "Washington Post", Trump teria a agarrado pelas mãos e, em seguida, se aproximado de seu rosto. Jonhson teria tentado virar o rosto, mas não conseguiu evitar o beijo. O caso ocorreu no dia 24 de agosto de 2016, antes do magnata ser eleito presidente dos Estados Unidos. A funcionária alega ter sido assediada na frente de outros colegas de trabalho. Para ela, o comportamento do magnata "violou as normas de decência e de privacidade" "Eu era mais um objeto sexual do que para dominar e humilhar", disse.

Por sua vez, a porta-voz da Casa Branca, Sarah Sanders, rebateu as acusações e disse que são "absurdas". Em comunicado enviado ao jornal norte-americano, ela ainda afirmou que todas as testemunhas negaram a denúncia.

"Este episódio nunca aconteceu e a história é claramente desmentida por várias testemunhas", diz a nota. Em entrevista ao "WP", duas testemunhas indicadas pela suposta vítima – um funcionário da campanha e Pam Bondi, então procurador-geral da Flórida – negaram ter presenciado o beijo.

 

 

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo