Alunos ficam sem aula após vandalismo em Santo André

Por Cadu Proieti - Metro ABC

Pais e alunos de três unidades escolares de Santo André acordaram com a notícia de que as unidades foram fechadas após vandalismo no fim de semana. Segundo a prefeitura, cerca de 800 crianças ficaram sem atendimento ontem por conta do ocorrido.

Escola vandalizada Santo André Porta arrombada em creche da Vila Junqueira / Arquivo Pessoal

Os casos foram na Emeief (Escola Municipal de Educação Infantil e Ensino Fundamental) Profª Mariângela Ferreira Aranda Fuzetto e creche Ângela Masiero, localizadas na Vila Junqueira, e na creche Maria Delphina de Carvalho Neves, no bairro Sacadura Cabral.

Entre os prejuízos provocados pelos vândalos estão arrombamentos de janelas, portas, vidros, tintas espalhadas pelo chão e paredes, materiais escolares jogados por vários pontos, arquivos com documentação de crianças e funcionários danificados, cozinhas depredadas com furto de alimentos, como leite em pó, achocolatado e bisnaguinhas.

“Quando chegamos, o que chamou mais a nossa atenção foi o cheiro de queimado. As professoras ficaram muito tristes em ver a destruição do material das crianças, documentos de sala espalhados. Em uma sala, chegaram até a urinar”, relatou servidora de uma das unidades, que cedeu as imagens do vandalismo ao Metro Jornal, mas pediu para não ser identificada.

Leia mais:
Seguro de carro no ABC é 46% mais caro que em SP
IPVA 2019: Pagamento integral ou segunda parcela para placa final 7 vence nesta terça

Por conta do ocorrido, as aulas foram suspensas ontem e a equipe de manutenção da Secretaria de Educação foi acionada.

Na creche Maria Delphina de Carvalho Neves, foram levadas fiação elétrica e cinco janelas. Já na Ângela Masiero, além de material escolar e de escritório espalhado pela unidade, uma porta de entrada foi quebrada e um rádio, furtado.

O equipamento educacional mais prejudicado, no entanto, foi a Emeief Mariangela Ferreira de Aranda Fuzetto, que além de materiais escolares e de escritório jogados pelo chão, teve paredes pichadas, sete portas destruídas e dois vidros de janelas quebrados.

A prefeitura informou que foram realizados os reparos necessários para o retorno às aulas hoje, quando as três unidades terão as atividades retomadas.

A administração municipal informou que a GCM (Guarda Civil Municipal) apreendeu na tarde de ontem três menores suspeitos de vandalizar as unidades na Vila Junqueira. Eles têm entre 11 e 14 anos e foram denunciados pela tia de um deles. Os acusados foram encaminhados para o 6º DP, no Jardim do Estádio.

Programa Escola Segura é lançado

Coincidentemente, a Prefeitura de Santo André lançou, na manhã de ontem, o Projeto Escola Segura, que prevê intensificação do patrulhamento nas escolas e combate à violência contra a criança e o adolescente. A ação estava marcada para ser anunciada antes mesmo da descoberta do vandalismo nas três unidades.

Segundo o governo municipal, o projeto colocará mais viaturas no entorno das escolas. Haverá também mudanças no formato das rondas escolares, com maior aproximação dos GCMs com a comunidade e equipes gestoras das escolas, além da instalação de alarmes e câmeras de monitoramento em todas as escolas da rede municipal.

O projeto piloto de vigia eletrônica teve início em uma creche do Jardim Marek e no Cesa (Centro Educacional de Santo André) Jardim Irene. A promessa é monitorar por câmeras todas as escolas até o fim deste ano.

Escola vandalizada Santo André Sala lúdica vandalizada / Arquivo Pessoal
Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo