Mãe destaca humildade de Boechat: "tenho muito orgulho do homem que ele foi"

Por Band.com.br

A mãe do jornalista Ricardo Boechat, que morreu na segunda-feira, 11, em um acidente aéreo, destacou a humildade e o lado solidário do radialista e âncora da BAnd durante o velório do filho no Museu da Imagem e do Som (MIS), em São Paulo, na manhã desta terça-feira, 12.

Em um depoimento emocionante, Mercedes Carrascal disse que o filho ficaria assombrado com a quantidade de gente que demonstrou carinho por ele. “Ele não fazia as coisas solicitando recompensas”, ressaltou. “Fiquei de boca aberta com os depoimentos das pessoas, de todas as classes sociais, sobre o meu filho.”

Dona Mercedes destacou, em especial, a homenagem dos taxistas de São Paulo, que colocaram letreiros de táxi sobre o caixão do jornalista. “Aquilo foi maravilhoso, agora sim é o caixão do Ricardo; isso é o que ele era, não era um caixão de luxo”, pontuou.

Na entrevista, ela fez questão de enfatizar a maneira que Boechat tratava as pessoas – sempre com igualdade. “Tenho muito orgulho do homem que foi meu filho; um homem honesto, correto e sincero. Era um homem que falava com o faxineiro, com um mendigo de rua, com o mesmo carinho que falaria com qualquer outra pessoa”.

 

Mercedes aproveitou o espaço para pedir respeito a todos os seres humanos, um tópico que era frequente nos comentários que Boechat sempre fazia na Rádio BandNews FM e também no Jornal da Band. “Não existe uma raça superior. Tem tanto valor um porteiro quanto um médico, porque cada um desempenha o seu trabalho com dignidade e cada um é importante para toda a sociedade.”

“Nós não vamos acabar com os problemas sociais enquanto não mudarmos nossas cabeças e exigirmos dos que estão acima de nós, que querem mandar, respeito que o povo tem que ter e merece ter. Tem que nos dar respeito, e não caridade pública, mas respeito”, acrescentou.

“Que os hospitais nos atendam com decência, que os colégios públicos sirvam para as crianças aprenderem realmente para poder crescer. Trânsito ordenado; não é porque o meu carro é melhor do que o seu que vou passar na sua frente, entende? Temos muito que aprender”, concluiu Dona Mercedes, que foi aplaudida e chamada de “grande mulher” pelos presentes no velório de Ricardo Boechat.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo