Damares quer acabar com indenização por perseguição política: 'Regime militar acabou há anos'

Por Band.com.br

A ministra da Família, Mulher e Direitos Humanos, Damares Alves, quer acabar com o pagamento de indenizações a perseguidos políticos reconhecidos pela Comissão da Anistia.

Ano passado, o governo desembolsou cerca de R$ 10 bilhões em forma de indenização única ou pensão mensal de um total de quase 78 mil requisições feitas desde 2002, quando a comissão foi criada.

A prerrogativa, que até o ano passado era do ministério da Justiça, passou na gestão Bolsonaro para a pasta dos Direitos Humanos, comandada por Damares.

LEIA MAIS:
No Twitter, Bolsonaro diz que financiamento cultural não é prioridade

Em entrevista à revista IstoÉ, a ministra declarou: "vou estabelecer um momento para o fim das reparações. O regime militar acabou há 35 anos. Isso vai durar para sempre?"

Aproximadamente 12 mil pessoas ainda aguardam um parecer favorável da comissão. O montante a ser pago chega a R$ 7,5 bilhões.

Entre os requerentes está a ex-presidente Dilma Rousseff, que cobra o direito à pensão de R$ 10 mil.

Na lista dos já contemplados com indenizações, entre outros estão José Dirceu, José Genoíno e o ex-presidente Lula.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo